Bolsas

Câmbio

Comércio móvel passará de US$ 6 tri até 2021: App Annie

Jeremy Kahn

(Bloomberg) -- As ações das empresas de tecnologia podem estar caindo, mas o crescimento do comércio móvel -- uma das principais tendências que têm sustentado o entusiasmo dos investidores com o setor nos últimos anos -- só deve acelerar, de acordo com a App Annie, uma empresa de pesquisa especializada em aplicativos móveis.

A empresa com sede em São Francisco, EUA, prevê que o comércio móvel vai superar US$ 6 trilhões por ano até 2021, disse o fundador e CEO da App Annie, Bertrand Schmitt, em uma entrevista em Londres na segunda-feira. Esse valor representa um aumento de 160 por cento em relação à estimativa de US$ 2,3 trilhões deste ano para as transações realizadas por meio de aplicativos móveis.

Schmitt disse que o aumento do tempo que os usuários passam com seus aparelhos móveis foi o grande responsável por gerar gastos maiores. As pessoas passaram cerca de 1,6 trilhão de horas ao todo em aplicativos móveis em 2016. A App Annie projeta que esse total crescerá para 3,5 trilhões de horas até 2021.

Esse número, por sua vez, foi impulsionado pela crescente adoção de smartphones e tablets em todo o mundo. "Por volta de 2021, quase toda a população do planeta, com idades entre cinco e 75 anos, usará um smartphone ou um tablet", disse Schmitt.

O crescimento da publicidade nos aplicativos também continuará forte, segundo projeções da App Annie. A empresa estima que o gasto total com propaganda dentro de aplicativos crescerá dos US$ 101 bilhões estimados neste ano para US$ 201 bilhões até 2021.

Além disso, os analistas da App Annie consideram que os produtos anunciados por esse tipo de publicidade vão mudar. Tradicionalmente, os anúncios de jogos móveis dominavam as propagandas em aplicativos. Mas, neste ano, a App Annie prevê que a receita de outros tipos de produtos e serviços excederá pela primeira vez a receita dos anúncios relacionados com jogos. E até 2021, a empresa de pesquisa prevê que os anúncios não relacionados a jogos representarão US$ 115 bilhões em gastos e que os anúncios de jogos totalizarão US$ 86 bilhões.

As compras dos aplicativos móveis em si vão gerar US$ 139 bilhões por ano até 2021, projeta a App Annie, em comparação com US$ 62 bilhões no ano passado. Mas nesta área os jogos manterão seu domínio. Eles representaram 80 por cento da receita de lojas de aplicativos no ano passado e continuarão representando cerca de 75 por cento em 2021, prevê a App Annie.

Schmitt disse que, apesar de que muito se falava há um ano que os aplicativos de mensagem e o uso de chatbots dominariam o comércio, o número de aplicativos independentes que as pessoas usam continuou aumentando. Em média, uma pessoa usa 35 aplicativos diferentes por mês. E na China, a quantidade é de 39 aplicativos, em média, apesar da importância do aplicativo de mensagens WeChat nesse mercado.

"O WeChat não está tomando o lugar de outros aplicativos", disse Schmitt.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos