Outra startup dos EUA ignora Brexit e abre escritório em Londres

Nate Lanxon

(Bloomberg) -- O pessimismo em relação ao Brexit não afetou a startup Intercom, com sede em São Francisco, que planeja abrir seu primeiro escritório em Londres neste ano.

O novo posto avançado da empresa, que faz produtos para que as empresas se comuniquem melhor com os clientes, se dedicará à pesquisa e ao desenvolvimento de software. Entre seus investidores estão o cofundador da Twitter, Biz Stone, a Iconiq Capital e a Index Ventures.

"Há uma concentração fenomenal de profissionais lá", disse Des Traynor, diretor de estratégia e cofundador da Intercom, em entrevista. "Vamos contratar imediatamente."

A aposta é uma demonstração de apoio ao setor de tecnologia de Londres no pós-Brexit. Depois que o Reino Unido decidiu, em referendo, sair da União Europeia, a incerteza em relação à capacidade da cidade de conservar empresas e profissionais tem sido significativa.

Apesar disso, várias jovens empresas de tecnologia dos EUA anunciaram planos de abrir escritórios em Londres, incluindo a Snap, que no início do ano escolheu a cidade como base internacional, e a Slack Technologies, que abriu um escritório na capital em maio.

Traynor disse que Londres era uma escolha óbvia, mesmo após o referendo do Brexit, porque é o segundo maior mercado da empresa fora dos EUA e o maior da Europa. "É de língua inglesa, fica a um voo curto de Dublin e está no mesmo fuso horário de Dublin", onde a empresa também possui escritório, disse ele. "Por isso a colaboração deverá ser fácil."

A Intercom está em um "grande impulso" para contratar profissionais, disse Traynor, acrescentando que o Reino Unido sempre teve uma "relação fenomenal com a disciplina da ciência da computação". Traynor não especificou um número-alvo de funcionários para o novo escritório, que abrirá no quarto trimestre.

"Um bom indicativo de trajetória pode ser nosso próprio escritório de Dublin", disse ele, "que começou com duas pessoas, mas não demorou para chegar a 180".

Escassez de profissionais

No início do mês, o portal de anúncios de emprego Indeed divulgou dados que mostraram que um em cada 10 novos empregos criados no Reino Unido eram de áreas da tecnologia, como engenharia de software. No entanto, para muitas empresas está difícil preencher essas vagas, em parte porque a demanda supera a oferta de trabalhadores altamente qualificados.

"Eu diria que faltam engenheiros de software no mundo e que essa escassez é pior nos lugares mais bem-sucedidos", disse Traynor. "Sem dúvida essa é a queixa número um em São Francisco e tenho ouvido algo semelhante em Londres."

A Intercom mantém cerca de 350 pessoas trabalhando nos escritórios de Dublin, São Francisco e Chicago. A empresa levantou um total de US$ 116 milhões em recursos, incluindo uma rodada de US$ 50 milhões liderada pela Index Ventures em abril de 2016, e conta com clientes como Spotify, Microsoft e Monzo Bank. Traynor disse que a empresa encerrou 2016 com cerca de US$ 50 milhões em receita recorrente anual e que atualmente não tem necessidade imediata de captação de recursos adicionais nem de uma oferta pública inicial.

"A empresa está indo muito bem", disse ele. "IPO, por exemplo, não é um assunto que temos discutido ativamente, de forma alguma."

Título em inglês: Another U.S. Tech Company Shuns Brexit Fears With London Office

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos