Bolsas

Câmbio

Americanos estão contentes com economia, mas não com Trump

John McCormick

(Bloomberg) -- Quase seis meses depois de Donald Trump ter assumido a presidência dos EUA, os americanos estão bastante otimistas em relação a seus empregos, à força da economia dos EUA e a suas próprias fortunas. Isso deveria ser uma boa notícia para o presidente, exceto por um detalhe: em grande parte, a confiança da população parece existir apesar de Trump, não por causa dele.

A última pesquisa nacional realizada pela Bloomberg mostra que 58 por cento dos americanos acreditam que estão se aproximando de realizar suas aspirações profissionais e financeiras, um empate com a proporção mais alta já registrada na pesquisa desde que a pergunta foi feita pela primeira vez, em fevereiro de 2013.

Uma maioria espera que o mercado de ações dos EUA esteja maior no final deste ano, enquanto 30 por cento projetam um declínio. No entanto, eles não acreditam necessariamente que Trump merece crédito pelo crescimento dos mercados crescentes e pela queda do desemprego.

Apenas 40 por cento dos americanos aprovam o trabalho que ele está fazendo na Casa Branca, e 55 por cento agora o veem desfavoravelmente, 12 pontos a mais desde dezembro. Sessenta e um por cento dizem que o país está no caminho errado, também 12 pontos a mais desde dezembro.

Trump obteve suas melhores pontuações por como lidou com a economia, mas mesmo assim as notícias para ele não são ótimas. Menos da metade dos americanos ? 46 por cento ? aprova o desempenho da Trump na economia; 44 por cento desaprovam. Ele obteve uma pontuação um pouco melhor pela criação de emprego, com aprovação de 47 por cento.

"Ao excluir desta pesquisa os resultados do presidente, vemos um país cada vez mais feliz com a economia", disse a pesquisadora J. Ann Selzer, que supervisionou a pesquisa. "Quando o nome de Trump é mencionado, o tempo fecha."

Em quase todos os indicadores de seu desempenho, a pesquisa indica que a tumultuosa presidência de Trump não está caindo bem para a população. Uma maioria de 56 por cento diz que está mais pessimista em relação a Trump por causa de suas declarações e ações desde que foi eleito. Essa foi uma grande oscilação desde dezembro, quando 55 por cento disseram que suas declarações e ações os tornaram mais otimistas em relação a ele.

A população ficou mais cética quanto a Trump cumprir algumas de suas promessas de campanha mais ambiciosas. Dois terços não acham que ele conseguirá construir um muro na fronteira mexicana durante seu primeiro mandato. Mais de metade diz que ele não vai conseguir revigorar a indústria do carvão.

Uma maioria ? 54 por cento ? acredita que Trump conseguirá criar acordos comerciais mais benéficos para os EUA, mas essa proporção é inferior aos 66 por cento registrados em dezembro. Há divisão sobre se ele conseguirá levar de volta para os EUA um número substancial de empregos ou se poderá reformar significativamente o código tributário.

Há um ponto positivo notável para Trump. Embora a percepção da Casa Branca como instituição esteja no nível mais baixo já registrado pela pesquisa ? sendo que 48 por cento agora a veem de forma desfavorável, 21 pontos a mais que em dezembro ?, os eleitores de Trump continuam com ele. Entre aqueles que votaram em Trump, 89 por cento afirmam que ele está fazendo um bom trabalho.

A pesquisa telefônica com 1.001 adultos americanos tem margem de erro de mais ou menos 3.1 pontos percentuais, maior entre os subgrupos. A pesquisa foi realizada entre 8 e 12 de julho pela Selzer & Co., que tem sede em Iowa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos