Com aprovação de opções, Bitcoin chega mais perto da aceitação

Camila Russo

(Bloomberg) -- Os investidores e mineiros de moedas digitais poderão cobrir esses ativos voláteis sob supervisão regulatória dos EUA pela primeira vez dentro de poucos meses.

A Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA (CFTC, na sigla em inglês) concedeu à LedgerX, uma operadora de plataforma de negociação de moedas criptografadas, registro como câmara de compensação para contratos de derivativos executados em moedas digitais, segundo comunicado dos órgãos reguladores, na segunda-feira. Com a aprovação, a LedgerX deverá se tornar a primeira bolsa e câmara de compensação de opções em moedas digitais regulada pelo governo federal nos EUA em meio ao rápido aumento do interesse e da volatilidade desse método de câmbio.

"Este é um marco importante para o mercado de câmbio digital de maneira geral", disse Paul Chou, ex-trader do Goldman Sachs, atualmente CEO da LedgerX. "Isso abrirá caminho para que, globalmente, outros avaliem o setor e a forma apropriada de regular um novo mercado como este."

A empresa com sede em Nova York planeja oferecer contratos de um a seis meses de opções de bitcoins para dólares entre o fim de setembro e o início de outubro, disse Chou, em entrevista por telefone. Contratos para outras moedas digitais, como ether, da Ethereum, devem sair na sequência, e também proteções de longo prazo.

A CFTC havia concedido à LedgerX autorização para negociações de moedas digitais no início do mês. A empresa, que é financiada pelo braço de capital de risco da Alphabet, tem por objetivo oferecer aos investidores institucionais a capacidade de se proteger contra oscilações de preço das moedas digitais da mesma forma que se protegem contra a volatilidade em outros ativos.

Entre as demais plataformas que oferecem trading de opções estão a Bitcoin Mercantile Exchange, de propriedade da HDR Global Trading, constituída nas Ilhas Seychelles, e a Deribit, de Amsterdã. Em 2015, a CFTC ordenou o encerramento das operações da plataforma de trading de opções de bitcoins Derivabit, que tinha sede na Califórnia, por não seguir os procedimentos regulatórios.

Este é mais um capítulo dos esforços da comunidade das moedas criptografadas para que o setor amadureça e atraia uma base maior de usuários e investidores. O bitcoin vinha sendo pressionado pela divergência entre facções rivais em relação à forma de ajudar o ativo digital a ganhar escala, até que os preços se recuperaram na semana passada em meio a sinais de que há um acordo próximo.

Chou disse que a capacidade de cobrir os ativos digitais atrairá investidores institucionais que antes estavam à margem.

"Estamos recebendo pessoas que querem fazer hedge e pessoas que querem exposição a uma nova classe de ativos que elas possam adicionar a seu portfólio para ajudar a diversificá-lo, e assim obter possíveis vantagens com uma moeda digital em potencial", disse Chou. "Queremos manter o negócio em determinado tamanho no começo e depois ampliaremos a escala nos próximos meses."

(Adiciona gráfico de volatilidade.)

--Com a colaboração de Ben Bain

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos