Bolsas

Câmbio

Hollywood vê poder crescente do público negro nas bilheterias

Jordyn Holman

(Bloomberg) -- A maior "surpresa" da bilheteria do fim de semana era também totalmente previsível: um filme com um elenco predominantemente negro atraiu um público maior do que o previsto pelos analistas do setor.

O filme "Girls Trip", da Universal, uma comédia feminina estrelada por Regina Hall, Queen Latifah, Tiffany Haddish e Jada Pinkett Smith, faturou US$ 30,4 milhões em seu fim de semana de estreia, cerca de 50 por cento a mais que os US$ 20 milhões esperados pela divisão de filmes da Comcast, abaixo apenas de "Dunkirk". Os críticos também gostaram, com 88 por cento de opiniões positivas no Rotten Tomatoes.

Mesmo que as previsões do setor subestimem o poder de bilheteria dos filmes com elencos diversificados, Hollywood parece estar entendendo a tendência geral -- os filmes não precisam necessariamente de estrelas brancas para fazer sucesso. Nos EUA, os negros compraram 49 por cento dos ingressos de cinema em 2016, contra 45 por cento no ano anterior, segundo dados da Motion Picture Association of America.

O maior fator para prognosticar o sucesso de um filme diante do crescente público não-branco é a presença relativa de pessoas de outras etnias no elenco, disse Christy Haubegger, chefe de desenvolvimento de negócios multiculturais da Creative Artists Agency. "Não se trata de nicho, de jeito nenhum", disse ela. "Ninguém jamais diria que a metade é um nicho."

Ainda assim, "Girls Trip" é apenas o mais recente exemplo de um filme com elenco negro que excede as projeções. "All Eyez On Me" superou as expectativas em seu fim de semana de estreia, em junho. No início do ano, a estreia de "Corra!", da Universal, tirou o primeiro lugar da concorrência, e "Estrelas além do tempo" ultrapassou "Rogue One: Uma História Star Wars", da Walt Disney, em seu lançamento amplo.

'Divertido é divertido'

Como parte da campanha para "Girls Trip", os cineastas Will Packer e Malcolm D. Lee foram com as protagonistas ao Essence Festival deste ano, o festival de música com quatro dias de duração que é peça central do enredo do filme. O título foi exibido em Nova Orleans durante o fim de semana e o elenco participou de painéis. Em determinado momento, Pinkett Smith e Latifah reconheceram o poder de compra de seu público.

"Como povo, devemos sempre apoiar histórias diversas em nossa comunidade", disse Pinkett Smith. "Temos que lembrar disso, porque se vocês não compram [ingressos], os filmes não são produzidos."

Seguindo uma estratégia de marketing direcionado -- que também beneficiou o sucesso de 2015 da Universal "Straight Outta Compton: A História do N.W.A." --, o estúdio distribuiu o filme amplamente, um aceno às preferências cada vez mais católicas do público branco.

"A verdade é que realmente fomos bem fundo no mercado", disse Nick Carpou, presidente de distribuição doméstica do estúdio. "Nós colocamos esse filme nos cinemas em todos os tipos de mercados e em todos os tipos de bairros. O que é divertido é divertido."

Para entrar em contato com o repórter: Jordyn Holman em N York, jholman19@bloomberg.net.

Para entrar em contato com a editora responsável: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net.

©2017 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos