Queda de preço finalmente dará alívio aos fãs do abacate

Sydney Maki

(Bloomberg) -- A obsessão dos americanos com o abacate elevou os preços a um recorde, mas há boas notícias para os fãs de guacamole: um alívio pode surgir em breve.

Uma confluência de fatores elevou o custo por atacado dos abacates Hass do México, o maior fornecedor para os EUA, para mais que o dobro neste ano. Os americanos nunca consumiram tanto desse produto verde quanto atualmente, e produtores no México e na Califórnia estavam tendo dificuldades para acompanhar o ritmo da demanda em meio ao clima seco. Mas o aperto poderia começar a diminuir no ano que vem, à medida que as árvores entrarem na metade de maior rendimento de um ciclo de dois anos.

Os sinais de alívio já estão surgindo. O custo por atacado caiu mais de 6 por cento em relação ao recorde registrado no início de julho. Na Chipotle Mexican Grill, os preços mais altos do fruto prejudicaram os resultados no início deste ano, mas a oferta mexicana maior que o esperado neste mês significa que os ganhos começaram a diminuir, disse o diretor financeiro John Hartung em uma conferência de resultados nesta semana. Ainda assim, com o impressionante número de 6,3 milhões de usos da hashtag #Avocado ("abacate", em inglês) no Instagram, não parece que a demanda vai desacelerar em breve.

"Os preços no futuro previsível vão se estabilizar um pouco, e não haverá uma inclinação acentuada", disse Robert Bonghi, diretor de compras e preços da Suwanee, com sede na Geórgia, que fornece alimentos frescos a clientes de serviços gastronômicos. "Os produtores estão tentando plantar mais árvores para acompanhar o ritmo", mas "você não vai ver 10 abacates por um dólar", disse ele.

Queda de preços

O custo dos abacates Hass importados do estado de Michoacan, o maior produtor do México, caiu neste mês após ter atingido o patamar mais elevado de dados do governo que remontam a 19 anos. O preço de uma caixa de 10 quilos subiu 140 por cento neste ano, para 600 pesos (US$ 34,02), ligeiramente abaixo do pico de 640 pesos registrado em 12 de julho. No supermercado, isso se traduz em US$ 1,51 por abacate Hass, 40 por cento mais que há um ano, segundo dados do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês).

Os ganhos surgiram em meio a um apetite aparentemente insaciável pelo fruto. Os americanos, em média, consumiram cerca de 7,1 quilos de abacate cada na temporada 2015-2016, segundo os números mais recentes do USDA. Isso é mais que o dobro do consumo há uma década.

"Os abacates realmente se tornaram muito populares, e a diversidade de usos contribui para isso", disse Jan DeLyser, vice-presidente de marketing da California Avocado Commission, em entrevista por telefone.

O aumento do abacate não aconteceu de uma vez só, disse DeLyser. Enquanto as autoridades de saúde anunciavam com entusiasmo os benefícios do fruto, os produtores desenvolveram a produção durante todo o ano e o produto também começou a se tornar um item básico do supermercado. Hoje, as câmeras de smartphone e as plataformas de redes sociais, como Pinterest, estão aumentando a demanda porque o fruto está na moda, disse ela.

(Estimativa de importação atualizada no parágrafo 13.)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos