Bolsas

Câmbio

Startup do Vale do Silício vê esperança em teste de câncer

Bloomberg News

(Bloomberg) -- A busca de uma análise de sangue simples que detecte o câncer cedo atraiu muitos poderosos, de Bill Gates até a Merck & Co. Agora começam a aparecer evidências de que isso poderia funcionar, pelo menos para um tipo específico de tumor maligno.

Um estudo realizado por pesquisadores em Hong Kong e publicado nesta semana no New England Journal of Medicine usou fragmentos de DNA no sangue para detectar um tipo de câncer de cabeça e pescoço chamado carcinoma de nasofaringe. O procedimento, conhecido como "biópsia líquida", detectou o câncer antes e com maior precisão do que os métodos já existentes -- e em definitiva aumentou as chances de sobrevivência dos pacientes.

Esses resultados poderiam ser úteis para as perspectivas comerciais da Grail, uma startup de capital fechado do Vale do Silício que desde que foi fundada em 2016 levantou mais de US$ 1,1 bilhão de vários investidores, entre eles os bilionários Gates e Jeff Bezos, além da Merck e da chinesa Tencent Holdings. Dennis Lo, um dos principais autores do estudo e professor em Hong Kong, também é cofundador de uma empresa de biotecnologia chamada Cirina, que concordou com se fusionar com a Grail em maio.

Sonho

O sonho de um teste não invasivo de detecção de câncer é baseado na descoberta de que os tumores liberam constantemente fragmentos de DNA no fluxo sanguíneo. Já existem análises de sangue comercializadas para monitorar a mutação do tumor após o diagnóstico, mas detectar o câncer nas etapas iniciais é mais complicado, em parte porque o DNA canceroso é liberado em quantidades muito menores.

"Nossa aspiração é criar um teste comercial" para o carcinoma de nasofaringe, disse o presidente da Grail, Ken Drazan, em uma entrevista por telefone. Se for bem-sucedido, o teste que seria comercializado no Sudeste Asiático seria o primeiro produto da Grail.

Dezenas de empresas têm trabalhado para desenvolver ou vender algum tipo de teste de biópsia líquida, de acordo com um relatório de 2015 da Piper Jaffray. Mas a maioria tem focado em testes para pacientes que já foram diagnosticados.

Experimento

O carcinoma de nasofaringe forneceu um experimento para testar o conceito para a equipe de pesquisadores integrada por Allen Chan, Rossa Chiu e Lo, do Instituto Li Ka Shing de Ciências da Saúde da Chinese University of Hong Kong. Os três são cofundadores da Cirina.

Esse tipo de câncer, que é frequente no sul da China e no Sudeste Asiático, surge de uma confluência de fatores: além das mutações genéticas, ele também está associado ao consumo de peixe salgado e ao tabagismo, assim como a uma infecção pelo vírus Epstein-Barr, membro da família do vírus do herpes.

Os dados apresentados "sugerem que as vidas foram salvas por causa desses exames", escreveu Richard Ambinder, professor de Oncologia da Johns Hopkins School of Medicine que não participou do estudo, em editorial na revista científica.

(Atualizações com informações adicionais.)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos