Bolsas

Câmbio

Apple pressionada a ativar chip de rádio de iPhone após furacões

Daniel Flatley

(Bloomberg) -- Durante 19 horas ininterruptas, enquanto o furacão Irma castigava a Flórida, o DJ Nio Fernández transmitia notícias em espanhol dos estúdios da rádio 92,5 Maxima em São Petersburgo, EUA, entregando informações para aqueles que estavam presos em suas casas enquanto o vento e a chuva varriam a área.

"Havia uma sensação de desespero nas vozes das pessoas", disse ele sobre os ouvintes que ligavam para a rádio. "Elas precisavam saber o que estava acontecendo."

Os esforços de Fernández possibilitaram que os ouvintes que estavam sem serviços de eletricidade, telefonia celular ou internet -- como muitos da região -- acompanhassem o avanço da tempestade usando chips de rádio FM embutidos em seus smartphones.

Mas não os usuários do iPhone. O telefone tem um chip de rádio FM, mas a Apple opta por não ativar o recurso, uma decisão que os críticos afirmam que poderia colocar vidas em perigo.

A questão ganhou mais atenção após a passagem de furacões que devastaram Porto Rico e algumas regiões do Texas e da Flórida. O senador Bill Nelson, da Flórida, lidera as solicitações para que as fabricantes de telefones celulares ativem os chips de rádio FM embutidos em quase todos os smartphones. Essas exortações foram dirigidas principalmente à Apple, cujo iPhone responde por mais de 40 por cento do mercado de smartphones dos EUA.

"Os radiodifusores estão fornecendo informações sobre evacuação rápida, onde a inundação é maior, como deixar a área de impacto de um tornado ou furacão", disse Dennis Wharton, porta-voz da Associação Nacional de Radiodifusores dos EUA. "A ideia de que a Apple ou qualquer outra empresa possa bloquear esse tipo de informação é algo que consideramos muito preocupante."

O grupo, que representa os proprietários das estações de rádio, pressiona o setor há vários anos para que permitam que os usuários de telefones tenham acesso ao recurso de rádio FM. Agora, muitas grandes fabricantes -- incluindo Samsung Electronics, LG Electronics e Motorola Solutions -- permitem o uso do chip. A Apple é a única grande que resiste, segundo Wharton.

Os críticos dizem que a Apple não quer canibalizar seu serviço de streaming ao dar aos usuários do iPhone acesso a um serviço de rádio gratuito por ondas sonoras. Uma porta-voz da Apple disse que a empresa não comentaria o assunto.

Ao examinar os danos provocados pelo furacão Irma, Nelson disse à WBBH-TV em Fort Myers: "Deve haver uma maneira de podermos ativar o chip." Um porta-voz do senador disse que ele estava estudando escrever às fabricantes de telefones sobre o assunto, mas que não pediu a exigência de ativação do recurso.

"Em resumo, os consumidores precisam de informações críticas em situações de emergência", disse Nelson. "Se existem tecnologias como chips de rádio que ajudam a oferecer isso durante situações de emergência, as empresas deveriam fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que eles sejam usados."

A transmissão de rádio é muitas vezes a forma mais duradoura de comunicação durante desastres em grande escala quando outras infraestruturas falham, disse Jamie Barnett, ex-chefe de segurança pública da Comissão Federal de Comunicações dos EUA. A permissão para que as pessoas sintonizem por meio de seus telefones permitiria que elas se mantivessem informadas em circunstâncias extremas como as observadas recentemente no Texas, na Flórida e em Porto Rico, disse Barnett, advogado do escritório Venable, em Washington.

--Com a colaboração de Todd Shields

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos