PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Assessores de Trump preferem Taylor ou Powell no Fed: Fontes

Jennifer Jacobs e Saleha Mohsin

20/10/2017 14h22

(Bloomberg) -- Os assessores mais próximos do presidente dos EUA, Donald Trump, estão orientando-o a escolher entre o economista de Stanford John Taylor ou o governador do Federal Reserve Jerome Powell para definir o próximo diretor do Fed, segundo várias pessoas familiarizadas com o processo.

Trump ainda não se decidiu, disseram as pessoas, mas prometeu publicamente anunciar uma decisão em breve. Além de Taylor e Powell, a lista de cinco candidatos pré-selecionados também inclui a atual presidente do Fed, Janet Yellen, o ex-governador do Fed Kevin Warsh e o diretor do Conselho Econômico Nacional, Gary Cohn.

Na quinta-feira, Trump fez sua última entrevista com os candidatos à presidência do Fed quando se reuniu com Yellen na Casa Branca durante meia hora. Yellen, cujo mandato à frente do banco central termina em 3 de fevereiro, transmitiu requinte durante a reunião.

Um retrato das deliberações sobre o próximo presidente do Fed foi pintado por sete pessoas familiarizadas com o processo, que compartilharam informações sob condição de anonimato. As preferências pessoais do presidente ainda não estão claras.

É improvável que Trump anuncie sua decisão nesta semana, segundo dois funcionários da Casa Branca. Ele ainda não teve tempo de parar para avaliar todas as informações sobre cada candidato, disse uma pessoa familiarizada com o processo. Trump provavelmente revelará o candidato escolhido antes de 3 de novembro, data de sua viagem de 11 dias à Ásia e ao Havaí.

Apoio

O vice-presidente Mike Pence, seus assessores e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, apoiam a nomeação de Taylor ou de Powell, segundo duas pessoas familiarizadas com o processo.

Todos os candidatos se saíram bem nas reuniões com o presidente nas últimas semanas, segundo duas pessoas. Cohn nunca foi entrevistado oficialmente por Trump, porque o presidente já conhece bastante bem seu principal assessor econômico e não achou que seria necessário, disseram.

Yellen se saiu bem na entrevista com Trump e é respeitada pelo presidente e por outros funcionários do governo, entre eles Mnuchin. Contudo, ela não tem simpatizantes a favor de sua renomeação entre os assessores de Trump e é questionada por alguns republicanos no Congresso por sua administração do Fed.

Críticas

Warsh e Powell foram entrevistados na Casa Branca no mês passado. Alguns conservadores manifestaram receios sobre Powell, um membro do conselho de governadores do Fed que foi nomeado pelo ex-presidente Barack Obama.

Warsh, por sua vez, não conta com o apoio de Mnuchin, segundo duas outras pessoas familiarizadas com o processo, mas elas não quiseram dizer por quê. Seu trabalho no conselho do Fed foi criticado por um grupo diverso de economistas, que abrange de Scott Sumner até o vencedor do prêmio Nobel Paul Krugman.

Taylor impressionou Trump após uma reunião de uma hora na Casa Branca na semana passada, disseram várias pessoas familiarizadas com o assunto.

Trump sempre tende a contratar pessoas com quem ele tem uma boa relação. No entanto, Trump disse a The Wall Street Journal em julho que "gostaria de ver os juros continuarem baixos", e Taylor deu seu nome a uma famosa regra de política monetária que normalmente exige juros mais altos.