PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Catalães planejam escudo humano contra tomada por Madri: Fontes

Esteban Duarte

23/10/2017 14h11

(Bloomberg) -- Os separatistas catalães estão mobilizando um escudo humano para impedir os esforços das autoridades espanholas, que pretendem assumir o controle da região dissidente em um momento em que os dois lados se preparam para a intensificação do conflito político.

Grupos concentrarão ativistas ao redor da sede do governo regional, no Bairro Gótico de Barcelona, e do edifício do Parlamento, próximo dali, disseram duas pessoas familiarizadas com os planos, que pediram para não serem identificadas. Elas acreditam que a polícia espanhola usará a força para tentar fechar o governo e colocarão seus corpos à frente dela, disse uma pessoa.

"Estamos convocando uma defesa pacífica e democrática das instituições", disse Lluís Corominas, líder do principal grupo separatista do Parlamento da Catalunha, em entrevista coletiva, em Barcelona. O presidente regional, Carles Puigdemont, solicitou uma medida semelhante.

Esta é uma semana crítica e de diplomacia arriscada. A liderança catalã planeja as próximas ações após a declaração do primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, de que adotará medidas sem precedentes para reafirmar sua autoridade. Os rebeldes de Barcelona estão ficando sem opções enquanto Madri tenta dar fim à crise política mais dramática do país em quatro décadas.

O confronto pode ocorrer no fim da semana.

Puigdemont, que acusou Rajoy de promover um "golpe de Estado", está prestes a ser derrubado pelo governo espanhol e seus aliados sinalizam que ele poderia declarar independência. A legislatura em Barcelona, controlada por partidos separatistas, se reunirá quinta e sexta-feira, coincidindo com o momento em que Rajoy deverá conseguir aprovação do Senado para medidas de repressão. Puigdemont poderia ir a Madri para se dirigir ao Senado, disse um legislador catalão nesta segunda-feira.

No sábado, Rajoy surpreendeu muitos observadores ao anunciar o plano de destituir todo o governo separatista de Barcelona e assumir o controle de instituições importantes, incluindo órgãos de comunicação públicos e a polícia regional, a Mossos d'Esquadra. O procurador-geral da Espanha disse que Puigdemont enfrentará até 30 anos de prisão se declarar independência e sinalizou que ele poderia ser preso imediatamente.

Os separatistas têm mostrado que são capazes de reunir apoio. Uma multidão estimada pela polícia local em cerca de 450.000 pessoas se reuniu para protestar na região central de Barcelona depois que Rajoy anunciou seus planos. Nesta segunda-feira, o CUP, um partido pró-independência, defendeu a desobediência civil em massa na Catalunha, informou o jornal Ara.

--Com a colaboração de Charles Penty e Maria Tadeo

PUBLICIDADE