PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Toyota reduzirá investimento e metas em fábrica do México: Fonte

Kevin Buckland e Nao Sano

25/10/2017 11h30

(Bloomberg) -- A Toyota Motor reduziu em 30 por cento o investimento planejado para uma fábrica que a companhia está construindo no México e diminuiu pela metade sua meta de produção em meio à pressão do presidente dos EUA, Donald Trump, para que fabricantes conservem uma fatia maior da produção em seu país.

A maior fabricante de veículos do Japão vai reduzir o investimento na fábrica de Guanajuato para US$ 700 milhões e vai diminuir a capacidade planejada para 100.000 unidades por ano, disse o vice-presidente executivo, Didier Leroy, no Salão do Automóvel de Tóquio nesta quarta-feira. A Toyota reduziu os planos depois de decidir mudar para caminhões a produção da fábrica, cujo início da produção está programado para o final de 2019, e determinar que a demanda equivalia a um número menor de unidades, disse ele.

Fatores políticos não foram considerados na decisão da Toyota no México, disse Leroy. A fabricante "poderia aumentar o investimento no futuro, com base na demanda do mercado", disse ele.

A mudança da Toyota, que anteriormente havia anunciado um investimento de US$ 1 bilhão na fábrica do México, reflete os desafios que as fabricantes de automóveis enfrentam para encontrar um equilíbrio entre demandas políticas e necessidades competitivas. Essas companhias estão entre as empresas atacadas por Trump, que ameaçou a Toyota com um imposto fronteiriço por planejar a construção de uma fábrica no México. Os planos de produção da empresa no Reino Unido também estão mudando, devido à lentidão das negociações do Brexit, que prolonga a incerteza sobre a imposição de barreiras comerciais dispendiosas.

"Não estamos jogando nenhum jogo político para agradar ninguém", disse Leroy, referindo-se ao Reino Unido e aos EUA. A Toyota continua comprometida com sua fábrica no Reino Unido, mas a empresa precisa pensar em como se manteria competitiva se houvesse um imposto comercial, disse ele.

Em março, a fabricante de automóveis afirmou que pretendia atualizar sua fábrica em Burnaston, na Inglaterra, para possibilitar a produção de carros em sua plataforma mais nova. Como as negociações do Brexit permanecem inconclusas, a Toyota informou neste mês que não havia "decisões iminentes" sobre a fabricação no Reino Unido e que mantinha a postura de querer um ambiente competitivo.

A Toyota tem uma fábrica em Tijuana, uma cidade no estado mexicano de Baja California, fronteira com os EUA, dedicada à produção de picapes Tacoma. A empresa e a Mazda Motor decidiram em agosto construir conjuntamente uma fábrica de US$ 1,6 bilhão nos EUA, a primeira fábrica nova de montagem do setor automotivo a ser anunciada durante o governo Trump. As duas companhias pretendem começar a produzir carros compactos Corolla e crossovers Mazda em uma fábrica compartilhada em 2021, onde serão gerados até 4.000 empregos.