PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Hedge funds aumentam aposta em alta da carne bovina

Megan Durisin

30/10/2017 12h17

(Bloomberg) -- Nem mesmo o aumento da oferta de carne bovina impediu que os hedge funds corressem para o mercado do gado devido à forte demanda global por carne.

As fortes exportações dos EUA ajudaram a compensar o aumento da oferta nacional. Os americanos estão comendo mais carne e nos últimos tempos mostraram uma inclinação especial pelas costelas.

Os preços mais baratos das rações ajudaram a aumentar a produção de carne dos EUA. Isso significa que, mesmo após ganhos recentes, os preços da carne bovina continuam abaixo dos picos recorde registrados há dois anos, o que dá mais margem de manobra ao mercado. Os gestores de recursos estão prestando atenção e apostam que os futuros do gado continuarão em alta.

Os hedge funds mantiveram sua posição líquida comprada para o gado, ou seja, a diferença entre as apostas no aumento do preço e as apostas no declínio, em 108.811 contratos futuros e de opções no período de uma semanaencerrado em 24 de outubro, segundo dados da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA (CFTC, na sigla em inglês) divulgados na sexta-feira. Este foi o sétimo aumento consecutivo, o período mais longo desde abril.

A seguir, alguns aspectos aos quais os traders estarão atentos:

Preços por atacado

Embora estejam bem abaixo dos picos registrados durante o verão (Hemisfério Norte), os preços por atacado da carne bovina se recuperaram nas últimas semanas. Em particular, as costelas bateram um recorde para esta época do ano. "O tamanho dessa alta será o fator determinante no apoio aos preços", disse Trevor Amen, economista de proteína animal da CoBank, uma cooperativa de crédito agrícola com sede em Greenwood Village, Colorado. A oferta de carne nos congeladores dos EUA é inferior à do ano anterior, outro sinal de demanda forte, mostram dados do governo.

Demanda de exportação

Os contratos futuros de gado mais ativos caminham para seu primeiro ganho anual desde 2014. As exportações dos EUA tiveram um início de ano forte, subindo 15 por cento até agosto em relação ao ano anterior. As compras aumentaram no Japão, no México e na Coreia do Sul. Ao mesmo tempo, projeta-se que os consumidores americanos vão comer cerca de 26,13 quilos cada neste ano, ou 910 gramas mais do que em 2016. O crescimento econômico global resiliente contribuiu para a "excelente demanda de carne", disse Dennis Smith, executivo de contas da Archer Financial Services em Chicago.

Gado de corte

As apostas na posição líquida comprada do gado de corte, aqueles animais que entram em confinamento para engordar à base de milho, aumentaram em sete das últimas oito semanas, mostram os dados da CFTC. Os contratos em aberto, ou seja, os contratos pendentes para essa commodity, também estão em aumento. Este indicador atingiu uma alta histórica de cerca de 64.000 na quinta-feira, segundo os últimos dados da negociação. A colocação de gado em confinamento nos EUA em setembro aumentou 13 por cento em relação ao mesmo mês em 2016, o sétimo ganho consecutivo em relação ao ano anterior.