Bolsas

Câmbio

Cortes de produção do petróleo acabarão se mercado se equilibrar

Wael Mahdi e Mohammed Aly Sergie

(Bloomberg) -- A Opep e seus aliados globais, incluindo a Rússia, poderiam eliminar seus cortes de produção antes de 2019 se o mercado de petróleo bruto se reequilibrar até junho, disse o ministro do Petróleo do Kuwait.

A Rússia está ansiosa para encerrar o quanto antes o acordo que limita a produção, disse Issam Almarzooq à Bloomberg no domingo, na cidade de Kuwait. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) estudará uma estratégia para sair do acordo de cortes globais em sua próxima reunião em junho, disse ele a jornalistas.

"Ainda temos um ano inteiro no acordo, mas existe a possibilidade de abandonar o acordo de cortes antes de 2019 se o mercado estiver reequilibrado em junho", disse Almarzooq. "Há pressão da Rússia para sair do acordo o mais rápido possível" quando o mercado estiver equilibrado, disse ele.

A Opep e seus parceiros concordaram em 30 de novembro que continuariam restringindo a produção até o fim de 2018, com o objetivo de eliminar o excesso de oferta nos mercados internacionais e fortalecer os preços. O petróleo bruto caiu na semana seguinte à decisão de estender os cortes porque os investidores voltaram sua atenção à crescente produção de petróleo e aos estoques de gasolina dos EUA. Desde então os preços subiram um pouco porque os pedidos quase recorde de petróleo estrangeiro da China sinalizaram uma demanda mais forte na segunda maior economia do mundo.

Perspectiva de preço

A produção de petróleo bruto nos EUA se expandiu pela sétima semana, para 9,71 milhões de barris por dia, o nível mais alto em dados semanais compilados pela Administração de Informação de Energia dos EUA desde 1983. Os estoques de gasolina aumentaram 6,78 milhões de barris na semana passada, o maior ganho desde janeiro.

O Kuwait prevê um reequilíbrio completo do mercado de petróleo até o fim de 2018, disse Almarzooq nos bastidores da reunião anual da Organização dos Países Árabes Exportadores de Petróleo. Os preços devem permanecer perto dos níveis atuais em 2018, disse ele.

O ministro da Energia dos Emirados Árabes Unidos, Suhail Al Mazrouei, disse que era muito cedo para saber quando a Opep abandonará o acordo de redução de produção. A Opep planeja discutir a estratégia de saída em junho, mas pode se reunir a qualquer momento se for necessário, disse ele, no Kuwait.

O ministro do Petróleo do Iraque, Jabbar al-Luaibi, disse que era "muito cedo para especular" sobre o que a Opep e seus parceiros nos cortes decidirão em junho.

"Depende do mercado", disse al-Luaibi no Kuwait. "Temos um ano inteiro pela frente. A Opep tomou a decisão de monitorar o mercado e agora está estudando o mercado. Os acontecimentos no mercado serão o fator que contribuirá para as decisões."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos