PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Chineses querem fatia do bilionário plano rodoviário da Colômbia

Andrea Jaramillo

26/04/2018 13h07

(Bloomberg) -- Os investidores chineses estão de olho em uma fatia do programa rodoviário de US$ 18 bilhões da Colômbia depois que o país sul-americano tomou medidas para proteger os investidores dos projetos.

Os chineses, além de um fundo de pensão estrangeiro e de um fundo de private equity do exterior, desejam comprar neste ano participações em diferentes concessões rodoviárias com pedágios, disse Jaime Trujillo, presidente da Baker McKenzie para a América Latina, que oferece serviços jurídicos a investidores e afirma ter conhecimento direto dos planos.

O programa de construção de rodovias conhecido como "4G" foi paralisado no ano passado devido ao escândalo regional de pagamentos de propinas centrado na gigantesca construtora brasileira Odebrecht. Para ajudar a revigorar o programa, a Colômbia modificou a legislação no início do ano para que as instituições que investem em rodovias não sejam prejudicadas caso um tribunal posteriormente acuse de corrupção as empreiteiras ou outras acionistas. As mudanças parecem estar dando certo.

Os investidores querem uma fatia majoritária ou uma participação minoritária significativa, e são atraídos pelo "mercado secundário", menos arriscado, que é quando as licenças ambientais e os alvarás de construção já foram concedidos, disse Trujillo, em entrevista, em Bogotá. Ele preferiu não informar o nome dos fundos nem revelar em quais rodovias eles desejam investir.

"Estamos descobrindo que a percepção dos investidores institucionais melhorou notavelmente em relação a um ano atrás", disse Trujillo. As concessões "estão atraindo investidores que antes não era possível encontrar."

Gargalos

As rodovias colombianas estão entre as piores do mundo e impõem grandes custos às empresas que tentam transportar mercadorias pelas três cadeias de montanhas dos Andes no país.

O Índice de Competitividade Global do Fórum Econômico Mundial classifica as rodovias colombianas em 110º lugar dentre 137. O governo calcula que o programa 4G aumentará o potencial de crescimento econômico em um ponto percentual ao reduzir os tempos de viagem e eliminar gargalos.

Os novos investidores poderão assumir uma participação em uma concessão que já tenha sido entregue, desde que atendam aos requisitos estabelecidos no contrato, segundo a agência de infraestrutura do governo, conhecida como ANI. Até o momento, a Colômbia concedeu 30 concessões rodoviárias no âmbito do programa 4G, das quais 14 já tiveram empréstimos desembolsados.