ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Investidores esperam para apostar na Argentina após upgrade

Netty Idayu Ismail e Carolina Millan

21/06/2018 12h36

(Bloomberg) -- Os investidores provavelmente ainda não vão correr para a Argentina, mesmo depois de o país ter reconquistado o status de mercado emergente.

Eles estão esperando sinais de estabilidade em um momento em que as autoridades enfrentam um déficit orçamentário crescente e uma inflação acima de 25 por cento. A retirada dos estímulos da época da crise, a desaceleração do crescimento global e a escalada das tensões comerciais entre EUA e China também reduziram o apetite dos investidores por ativos de maior risco.

A MSCI, que rebaixou a Argentina para o status de mercado de fronteira em 2009, anunciou na quarta-feira que promoverá as ações do país em seus principais índices de mercados emergentes. A esperança de atualização havia diminuído quando a turbulência no mercado forçou o governo a pedir uma linha de crédito recorde de US$ 50 bilhões ao Fundo Monetário Internacional. O peso registra desvalorização de mais de 30 por cento neste ano e é a moeda de pior desempenho entre os países em desenvolvimento em meio à recuperação do dólar. As ações do país caminham para o pior ano em quase uma década.

A MSCI incluiu uma ressalva, afirmando que reconsideraria a decisão argentina se as autoridades introduzissem "qualquer tipo" de restrição de acesso ao mercado. Inicialmente, estarão qualificadas apenas listagens estrangeiras como os recibos de depósito americanos (ADR, na sigla em inglês) devido à liquidez menor dos mercados locais do país, disse a compiladora do índice.

A atualização do status permitirá que fundos que monitoram mais de US$ 1 trilhão invistam no mercado de ações do país, o que ocasionará cerca de US$ 3,8 bilhões em entradas de recursos, segundo estimativa do JPMorgan Chase.

Veja um resumo do que os investidores estão dizendo:

Richard Segal, analista sênior da Manulife Asset Management em Londres:

- "Isso levará a mais entradas de recursos ao longo do tempo, quase por definição, mas devido às fragilidades atuais, penso que a maioria dos investidores aguardará primeiro a estabilização das condições econômicas gerais".

Nader Naeimi, diretor de mercados dinâmicos da AMP Capital Investors em Sidney:

- Naeimi planeja investir em ações e na moeda da Argentina nos próximos meses, mas primeiro aguarda sinais de que "o crescimento global sincronizado acaba de passar por um período de desaceleração em meio ao crescimento, e não por uma reversão";

- "A Argentina é uma economia e um mercado significativos na América Latina e a notícia sobre a atualização do status pela MSCI certamente é positiva".

Hasnain Malik, chefe global de pesquisa de ações da Exotix Capital:

- "Algumas pessoas temiam que o recente colapso cambial na Argentina pudesse inviabilizar a atualização de seu status. Quando foi fechado o acordo com o FMI, em princípio não prevíamos um retorno aos controles de capital e, portanto, não víamos nenhum motivo válido para um recuo na decisão da MSCI".

--Com a colaboração de Matthew Martin e Justin Villamil.

Repórteres da matéria original: Netty Idayu Ismail em Singapore, nismail3@bloomberg.net;Carolina Millan em Buenos Aires, cmillanronch@bloomberg.net

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia