ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Entrar no novo clube da moda de Miami custará US$ 350.000

Hannah Elliott

29/06/2018 13h09

(Bloomberg) -- Miami, famosa por seu tráfego monótono e pela cultura de ritmo lento no trânsito, ultimamente parece ser a melhor cidade para carros nos EUA.

Pouco depois que a Fórmula 1 selecionou a cidade como sede de uma corrida no ano que vem e a Grand Basel anunciou que terá um evento automotivo em fevereiro, dois incorporadores solidificaram os planos para construir uma pista de corrida de US$ 220 milhões e um clube privado a apenas 17 quilômetros do artístico distrito Wynwood de Miami.

Com inauguração prevista para maio de 2019 no Aeroporto Executivo de Miami-Opa Locka, o Concours Club oferecerá uma pista de mais de 3 quilômetros projetada por Alan Wilson, além de piscina infinita e jacuzzi, spa completo e sauna, depósito para vinhos e charutos, restaurante e bar e com serviços completos de concierge.

"As comodidades são o que nos diferencia", disse o cofundador Neil Gehani. "Queremos ter certeza de que convocaremos as pessoas certas e, quando chegarem, queremos que elas permaneçam aqui."

Gehani e o coproprietário Jay Pollak oferecerão 40 filiações fundadoras que custam US$ 350.000, sem anuidade. Os membros fundadores convidarão amigos e colegas, que poderão comprar "filiações legadas", limitadas a 150 pessoas. Essas vão custar US$ 125.000, mais anuidade. Filiações corporativas podem ser oferecidas logo após a abertura inicial.

Tudo isso soa como uma aposta alta, e é. Mas é coerente com o preço de outras pistas privadas em todo o mundo, como o Thermal Club, nos arredores de Palm Springs, Califórnia, e o Monticello Motor Club, localizado no exuberante Hudson Valley, no norte do estado de Nova York. E, para colocar isso em perspectiva, o custo é menor que o de um dos carros - um Pagani Zonda custa US$ 1,4 milhão, por exemplo, e um Koenigsegg Agera custa US$ 2,1 milhões - pertencentes aos possíveis sócios, que serão uma mistura de ricos colecionadores internacionais e fãs locais do automobilismo bem conectados.

"Este é um nicho dentro de um nicho, mas ele é crucial, porque à medida que a cara do automobilismo muda, o segmento de luxo vai se consolidar e sempre terá um mercado", diz Wilson. Ele voltou recentemente aos EUA após ter trabalhado em várias pistas de corrida na Europa. "É como se os governos chegassem e dissessem que todos os restaurantes têm que ser veganos - continuará havendo pessoas que queiram comer carne. Sempre haverá um mercado para a carne", diz ele.

Apetite do sul da Flórida

Miami está se tornando uma capital internacional do luxo e ocupa o 14º lugar do ranking de riqueza global de todas as cidades do mundo, de acordo com o Relatório de Riqueza de 2018 da Knight Frank. O sul da Flórida, em particular, domina o mercado imobiliário de luxo, onde contratos assinados por apartamentos luxuosos em Miami Beach - definidos como os 10 por cento do topo do mercado - aumentaram 92 por cento em preço no primeiro trimestre deste ano, segundo dados divulgados pela empresa imobiliária Douglas Elliman e pela empresa de avaliação Miller Samuel. Na parte continental de Miami, o total de contratos por apartamentos de luxo no final de março havia subido 22 por cento em preço em relação ao ano anterior.

"A cultura automobilística aqui é incrível", disse Gehani, um colecionador que mora em Chicago e visita Miami regularmente há 15 anos. "É realmente internacional, com uma verdadeira paixão por carros que só faz crescer. Dizem que as pessoas vão para a Flórida para morrer, mas as pessoas vêm para Miami para viver."

Os convites para os 40 fundadores começam em julho.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia