PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Para jovens, tecnologia deve complementar, não estragar jantar

Riley Ray Griffin

23/07/2018 13h35

(Bloomberg) -- Os millennials, peritos em Instagram, têm a fama de tirar fotos do prato quando comem fora, mas uma nova pesquisa mostra que eles desejam que as tecnologias inteligentes complementem a experiência gastronômica sem sobrecarregá-la.

A geração (formada por pessoas com 18 a 34 anos) está mais propensa que as antecessoras a acolher bem a inteligência artificial, a assistência por voz e, sim, até mesmo garçons-robô em sua experiência gastronômica. Mas os jovens valorizam mais as interações pessoais, segundo relatório divulgado nesta segunda-feira pela SevenRooms, uma plataforma de gerenciamento de reservas em restaurantes. A pesquisa foi realizada pela empresa YouGov, que entrevistou uma amostra de 1.108 pessoas nos EUA em abril.

Os millennials são cinco vezes mais propensos a utilizar recursos inteligentes para fazer uma reserva em um restaurante específico do que pessoas com mais de 55 anos, e são três vezes mais propensos a efetuar uma reserva por meio das redes sociais. Além disso, também são três vezes mais propensos a preferir formas de pagamento que dispensam cartão, como Apple Pay e Venmo, quando comem fora de casa.

Mesmo assim, os millennials dão mais valor para a relação pessoal que para uma tecnologia futurista. Quase metade dos entrevistados quer que o atendente se lembre deles de uma visita anterior, e 21 por cento querem a possibilidade de solicitar um garçom que conheça suas preferências gastronômicas, mostra o estudo.

"Os millennials são muito mais abertos às novas tecnologias, mas está claro que a população em geral ainda está nos primeiros estágios de mudança da experiência gastronômica", disse Joel Montaniel, CEO e fundador da SevenRooms. "As pessoas ainda querem aquela conexão humana."

A geração que pensa primeiro no digital em breve superará os baby boomers como maior grupo demográfico dos EUA, e os donos de restaurantes começam a atender a suas preferências. Apesar da tendência entre os millennials de gastar uma fatia maior da renda disponível comendo fora do que no supermercado, eles são mais comedidos que qualquer outra geração na hora de deixar gorjeta.

"O setor de restaurantes não terá outra opção além de abraçar essas tendências tecnológicas", disse Montaniel. "Os clientes entram nos restaurantes com expectativas mais altas do que nunca."

É difícil equilibrar esses desejos concorrentes. O estudo revelou também que 38 por cento dos americanos, incluindo quase um em cada quatro millennials, acreditam que o excesso de tecnologia pode estragar a experiência gastronômica. As críticas levaram alguns restaurantes a proibir o uso de celulares. Talvez alguns façam uma exceção tecnológica para os garçons-robô.