PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Setor de tecnologia afeta mais emergentes do que Turquia

Luke Kawa

15/08/2018 12h40

(Bloomberg) -- Os investidores estavam tentando prever contágios nos lugares errados.

As dificuldades da gigante chinesa da internet Tencent Holdings afetam mais as ações dos mercados emergentes do que a turbulência na Turquia, o que indica que as ações de tecnologia dos EUA não ficarão imunes a essa tempestade.

A queda inesperada do lucro trimestral da Tencent e as informações de que os órgãos reguladores da China congelaram a aprovação de licenças de jogos provocaram uma queda de 2 por cento no MSCI Emerging Markets Index, que poderia ter seu terceiro pior dia do ano. A oscilação foi menor que a de sexta-feira, quando a crise da Turquia sacodiu os mercados.

Essa ampla reação a notícias específicas sobre uma empresa é uma consequência do enorme peso que as ações de tecnologia chinesas têm nos índices de ações dos mercados emergentes. A Tencent é o maior componente do MSCI Emerging Markets Index, e o trio de ações BAT -- que inclui também Baidu e Alibaba -- representa um décimo do índice de referência.

Os resultados decepcionantes da Tencent provocaram a maior queda da Naspers, a empresa de mídia sul-africana dona de quase um terço da gigante on-line, desde 2008. As repercussões foram sentidas nos EUA, onde os futuros de ações da Nasdaq 100 também caíram.

Entre os investidores, o temor é que as ações de tecnologia dos EUA -- que têm impulsionado o avanço do S&P 500 -- peguem um resfriado enquanto seus pares chineses sofrem de pneumonia.

Os pesos-pesados da tecnologia dos EUA se mantiveram relativamente isolados dos problemas de suas contrapartes chinesas. Um fundo negociado em bolsa que monitora o Nasdaq 100 subiu quase 17 por cento neste ano, contra um declínio de 20 por cento do Invesco China Technology ETF. A correlação de 21 sessões dos dois indicadores de tecnologia está nos níveis mais fracos de 2018.

As posições compradas do quinteto FAANG, formado por Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Alphabet (empresa controladora do Google), e do trio chinês de tecnologia foram consideradas a transação mais concorrida pelo sétimo mês consecutivo, segundo pesquisa de agosto do Bank of America Merrill Lynch com gerentes de fundos.

"O desempenho estelar das empresas do FAANG aumentou a preocupação dos investidores em relação à limitação dos retornos do mercado", escreveu Maneesh Deshpande, chefe da estratégia de derivativos de ações do Barclays.

O bom desempenho deste seleto grupo de ações colocou a superficialidade desse mercado em níveis "elevados", disse ele, embora tenha acrescentado que este fator, por si só, não é um motivo para supor que as ações dos EUA deverão cair no ano que vem.