PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Falta de caminhoneiros estimula consumo de comida local nos EUA

Leslie Patton

28/08/2018 13h13

(Bloomberg) -- Os ingredientes locais estão na moda nos restaurantes sofisticados. Mas agora, com os custos crescentes do transporte nos EUA, as casas especializadas em sanduíches e saladas estão seguindo a mesma tendência.

A falta de mão de obra na indústria de caminhões está encarecendo a entrega de tudo, da maçã à abobrinha. Os custos de transporte nos EUA subiram 14 por cento no período de um ano encerrado em 30 de junho, levando o uso de caminhões para quase 100 por cento da capacidade, segundo a empresa Freight Transportation Research Associates. Os restaurantes enfrentam preços mais altos e, para evitar o repasse aos clientes, passaram a comprar mais perto.

"Estamos tentando descobrir como conseguir mais ingredientes localmente", disse Nick Marsh, CEO da Chopt Creative Salad, uma rede com mais de 50 unidades, a maioria na costa leste dos EUA. "Isto certamente gera ainda mais benefícios econômicos."

Monitoramento eletrônico

Marsh disse que os custos de transporte da Chopt subiram 20 por cento em relação ao ano passado. Ele culpou a escassez maior de motoristas, juntamente com o novo monitoramento eletrônico implementado pelo Departamento de Transportes dos EUA em dezembro para controlar os horários dos caminhoneiros. A Chopt já recebe mais de 50 por cento de seus alimentos de fornecedores locais durante o verão. Recentemente, a empresa passou a comprar mais couve, espinafre e rúcula da Flórida em vez da Califórnia, e está em busca de verduras cultivadas em ambientes fechados em Nova York, disse Marsh.

Os restaurantes promovem os produtos locais há anos. Os chefs que usam alimentos locais dizem que o sabor e a aparência são melhores devido aos tempos de transporte menores, e eles gostam de dizer aos clientes que apoiam os agricultores da região. E o tempo menor de estrada gera um consumo menor de combustível -- o que beneficia também o meio ambiente.

A falta de caminhoneiros faz parte da escassez generalizada de mão de obra nos EUA, cujo índice de desemprego em maio igualou o menor patamar em 48 anos, de 3,8 por cento. A competição por motoristas está aumentando porque economia está mais forte e porque mais americanos recorrem à entrega de compras de supermercado e bens de consumo adquiridos pela internet.

Carne e vodca

Boyd Hoback, CEO da Good Times Restaurants, disse que a empresa dona de 67 restaurantes avalia o uso de mais produtos locais para economizar no transporte e garantir o recebimento das quantidades que necessita. A empresa controladora do Bad Daddy's Burger Bar e da rede de hamburguerias Good Times já compra parte da carne localmente, além de vodca de Breckenridge, Colorado, perto de sua sede. Mas nos últimos seis meses a empresa ficou sem vegetais e refrigerantes.

"Ainda não enfrentamos escassez de nenhum produto, mas chegamos perto", disse Hoback. "Trata-se de um problema significativo para nossos distribuidores."

Segundo ele, o abastecimento local nem sempre faz sentido para a Good Times, porque a empresa não conseguiria obter uma quantidade suficiente de certos vegetais. Além disso, existem riscos de segurança alimentar, disse Hoback.

"Eles precisam encontrar uma solução para entregar os produtos", disse. "Ainda falta muito para a chegada dos caminhões sem motorista. A única solução a curto prazo é pagar melhor às pessoas para conseguir uma oferta maior."