ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Americanos consomem mais carne e leite vegetais do que nunca

Lydia Mulvany

13/09/2018 14h22

(Bloomberg) -- Os americanos parecem estar querendo consumir cada vez mais imitações de carne e leite.

A venda de substitutos para todos os tipos de produtos de origem animal está em alta, e atualmente compreende um mercado de US$ 3,7 bilhões, segundo dados da Nielsen divulgados na quarta-feira. A pesquisa foi encomendada pelo The Good Food Institute, que representa a indústria de alimentos de origem vegetal.

Por exemplo, a imitação de carne de origem vegetal cresceu 23 por cento no período de um ano até 11 de agosto, para US$ 684 milhões. A Beyond Meat, do Vale do Silício, lidera o grupo com uma alta de até 70 por cento das vendas. Cerca de um oitavo de todo o leite comprado no comércio não é de vaca, e sim de vegetais. Os iogurtes, queijos e sorvetes não lácteos estão em expansão, com crescimentos de 40 por cento ou mais.

Em comparação, as vendas de alimentos no varejo em geral estão crescendo a um ritmo de 2 por cento.

Apesar do crescimento, porém, as proteínas alternativas ainda são um mercado muito menor que o de carnes vermelhas e de aves, que soma US$ 49 bilhões, e é improvável que provoquem algum efeito sobre a demanda por proteína animal tradicional na próxima década, segundo o CoBank.

Cerca de 95 por cento dos americanos comem carne, proporção inalterada há décadas, disse Eric Mittenthal, porta-voz do Instituto Norte-Americano da Carne. "É lisonjeiro que as empresas com produtos de origem vegetal estejam buscando imitar o que a natureza aperfeiçoou", disse.

(Os dados compilados pela Nielsen englobam as vendas do varejo de alimentos de origem vegetal que são substitutos diretos de produtos de origem animal, como carne, frutos do mar, ovos e lácteos, além de alimentos que contêm substitutos diretos de ingredientes animais).

Mais Economia