PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Índia quer mais que dobrar ajuda à exportação de açúcar, dizem fontes

Pratik Parija

18/09/2018 14h50

(Bloomberg) -- A Índia, maior produtora de açúcar do mundo depois do Brasil, estuda proposta para oferecer 45 bilhões de rúpias (US$ 617 milhões) em assistência às usinas de açúcar para ampliar as exportações e reduzir o excedente doméstico no ano que vem.

O governo planeja fornecer um subsídio de 13,88 rúpias para cada 100 quilos de cana às usinas de açúcar no ano-safra que começa em 1º de outubro, contra 5,5 rúpias na temporada 2017-2018, segundo duas pessoas familiarizadas com o assunto. O país estuda também devolver taxas de transporte e operação de 1.000 a 3.000 rúpias por tonelada para o transporte de açúcar das usinas até os portos, disseram as pessoas, que pediram para não ser identificadas, mencionando regras.

A porta-voz do Ministério dos Alimentos preferiu não comentar.

A assistência permitirá que as usinas ampliem as exportações, ajudará a reduzir as reservas e respaldará os preços domésticos em meio a colheitas abundantes. A produção do país deverá ser recorde pela segunda safra consecutiva em 2018-2019 porque os preços mais elevados da cana levaram os produtores rurais a aumentar as áreas plantadas com variedades de alto rendimento, disse Abinash Verma, diretor-geral da Associação de Usinas de Açúcar da Índia, em julho.

Uma safra maior da Índia possivelmente ampliará a oferta global. Os preços do açúcar em Nova York caíram 23 por cento no ano até agora, atingindo o menor patamar em uma década em agosto.

Cota de exportação

A proposta deve ser analisada pelo gabinete na quarta-feira, disseram as pessoas. O governo pode alocar um total de 5 milhões de toneladas em cotas de exportação de açúcar para as usinas em 2018-2019, disseram as pessoas. Os incentivos ajudarão as usinas a eliminar uma parte da dívida dos usineiros com os agricultores, que somava 135,67 bilhões de rúpias até 17 de setembro.

O governo alocou 2 milhões de toneladas em exportações de açúcar para 2017-2018 por meio de um sistema de cotas e depois estendeu o prazo em três meses. A Índia alterna entre as condições de importadora e exportadora de açúcar, dependendo da produção local. As exportações totalizaram cerca de 400.000 toneladas na safra outubro-agosto, segundo dados da associação. O país exportou 46.000 toneladas em 2016-2017 e um recorde de 4,96 milhões de toneladas em 2007-2008, mostram dados.

PUBLICIDADE