PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Libra pode subir 2% se Reino Unido e UE chegarem a um acordo

Charlotte Ryan

15/10/2018 12h37

(Bloomberg) -- A libra pode subir rumo ao maior patamar em cinco meses se o Reino Unido e a União Europeia fecharem acordo de divórcio nesta semana.

A moeda pode subir mais de 2 por cento, para US$ 1,35, se a primeira-ministra britânica, Theresa May, e o negociador-chefe da UE, Michel Barnier, fecharem acordo em uma cúpula importante, na quarta-feira, segundo a Aberdeen Standard Investment. Os estrategistas, contudo, não esperam um retorno aos níveis pré-Brexit, de mais de US$ 1,40, porque a natureza insatisfatória de um provável acordo e a dificuldade de aprová-lo no Parlamento limitarão qualquer alta.

"Parece que estamos nos aproximando de um entroncamento na estrada e tem sido um longo caminho", disse Luke Hickmore, gerente de investimentos sênior da Aberdeen Standard em Edimburgo. "Adoraria dizer que veremos uma moeda a US$ 1,40 novamente, mas ainda há muito a discutir, por isso é muito provável que o pico fique em torno de US$ 1,35."

May jantará com seus pares europeus na quarta-feira e a cúpula é vista como um momento fundamental das negociações. Os funcionários trabalhariam em turnos para o caso de a reunião avançar pela noite e a UE pode decidir que os dois lados estão suficientemente próximos para convocar outra cúpula para meados de novembro.

Alternativamente, como na reunião anterior da UE em Salzburgo, no mês passado, é possível que tudo dê errado -- fazendo os líderes imaginarem o que deverá acontecer antes da próxima cúpula, programada para dezembro.

A libra recuperou parte das perdas do ano nas últimas semanas com uma combinação de dólar fraco e algumas notícias positivas a respeito do Brexit. Se algum acordo for fechado, o mercado provavelmente passará a focar no próximo obstáculo, que é a aprovação pelo Parlamento, o que alguns sugerem que pode ser desafiador.

Para que a libra suba é preciso que o acordo seja fechado em breve e que seja "politicamente viável" tanto para o Reino Unido quanto para a UE, disse o estrategista do ING Groep, Viraj Patel. Ele prevê que a moeda subirá para US$ 1,34 a US$ 1,35 com possibilidade de uma alta para US$ 1,37 a US$ 1,38 se o dólar se desvalorizar e o risco da geopolítica externa cair.

A longo prazo, a recuperação significativa da libra depende do sucesso do Brexit e de uma fraqueza adicional do dólar, acrescentou Patel. Isso pode elevar a moeda a US$ 1,45, disse.

"Não há razão para que a libra não possa subir mais no ano que vem se as coisas correrem bem para o Brexit e se o ciclo do dólar mantiver sua trajetória de queda. São duas grandes -- mas monumentais -- condições."

--Com a colaboração de Anooja Debnath.