PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Cosan estuda oferta a serviço de transporte do tipo Uber: Fontes

Fabiana Batista

17/10/2018 12h21

(Bloomberg) -- A Cosan está considerando se vai adentrar o ramo de logística rodoviária para aproveitar o complicado sistema de transporte do Brasil, disseram pessoas com conhecimento direto do assunto.

A holding que controla a empresa, conhecida como Cosan Limited, montou um grupo de trabalho interno através de suas subsidiárias para estudar se deve criar uma nova unidade ou adquirir uma participação em uma empresa existente, disse uma pessoa, pedindo para não ser identificada porque o assunto é privado. Conversas preliminares começaram com algumas empresas-alvo em potencial, como a CargoX, uma empresa do tipo Uber que liga caminhoneiros a empresas que demandam serviço de transporte de carga, disse a pessoa.

A Cosan, com sede em São Paulo, já controla a Rumo Logística, a maior operadora de trens e portos do país. Para o conglomerado, a entrada no segmento de transporte rodoviário não apenas consolidaria seu negócio de transporte de carga existente, mas também ajudaria a criar valor a partir do sistema de transporte rodoviário ineficiente, disse uma das pessoas.

O movimento ecoa os planos de dois grandes traders de soja ? a unidade local da Louis Dreyfus Co. e Amaggi, uma empresa de soja pertencente à família do ministro da Agricultura brasileiro Blairo Maggi ? que pediram aprovação de órgãos reguladores para criar joint venture que vai intermediar as negociações de frete por meio de uma plataforma digital, de acordo com documentos arquivados na agência conhecida como Cade.

A alta dependência do Brasil do transporte rodoviário ficou clara no início deste ano, quando uma greve nacional de caminhoneiros paralisou o país. Há cerca de 150.000 empresas de transporte em operação, a maioria delas pequenas e desorganizadas, segundo informou a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística em Junho. Dos 1,77 milhão de caminhões, 37% têm proprietários que os operam de forma independente, de acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres.

A Cosan disse em comunicado que está sempre avaliando oportunidades que podem agregar valor à empresa, mas não quis comentar sobre planos específicos para a logística rodoviária. CargoX também não quis comentar.