PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Drones farão `corrida do ouro' no Japão, diz guru da tecnologia

Ma Jie e Nao Sano

24/10/2018 12h18

(Bloomberg) -- A única pessoa de quimono em um encontro recente do governo japonês sobre carros voadores era Kotaro Chiba, um ex-executivo do ramo de jogos on-line que se tornou um tipo muito específico de financiador.

Chiba, 44, que usa quimono em ocasiões especiais para mostrar seu orgulho pela cultura japonesa, está levantando dinheiro para o que chama de Drone Fund. O fundo investe em veículos não tripulados para inspeção de edifícios, para entregas e para tirar fotos aéreas para órgãos de turismo, em hover scooters e em uma aeronave de carga sem piloto que pretende realizar o trajeto do Japão ao Vale do Silício sem escalas.

Chiba está na vanguarda de um setor que está a apenas alguns anos de mudar nossas vidas. Dentro de cinco a 10 anos, os céus podem lotar de drones entregando mercadorias, segundo a McKinsey. Segundo a consultoria, é possível que daqui a 10 a 15 anos você vá trabalhar de táxi voador.

"É como uma corrida do ouro aérea", disse Chiba, em entrevista, em seu escritório, no centro de Tóquio. E "os pioneiros colherão os melhores resultados".

O fundo de Chiba faz parte da iniciativa do Japão para recuperar sua vantagem tecnológica por meio de drones depois que o país ficou para trás em outras áreas, como carona compartilhada, direção autônoma e carros conectados. Mas o país tem trabalho a fazer para alcançar outros mercados, como EUA e China, no que diz respeito ao setor de drones comerciais.

Chiba criou seu primeiro Drone Fund, pequeno e com adesões esgotadas, em 2017. Ele investiu 150 milhões de ienes (US$ 1,3 milhão) do próprio bolso. Atualmente, ele está levantando até 5 bilhões de ienes para o segundo, que pretende fechar até o fim do ano. Ele já arrecadou recursos do Mizuho Bank, da KDDI e do astro do futebol japonês e investidor-anjo Keisuke Honda. Quando o fundo fechar, ele planeja reunir até 50 bilhões de ienes para um terceiro fundo, mais ou menos em 2020.

Apoio do governo

O governo japonês, que forneceu algum apoio financeiro aos fundos, está tentando criar as leis e a infraestrutura necessárias para colocar carros voadores no céu na próxima década. Em agosto, formou um grupo com essa finalidade com grandes nomes como Uber Technologies e Boeing. O governo prevê o uso da tecnologia dos drones em tudo, do turismo ao abastecimento de ilhas remotas ou áreas montanhosas em momentos de desastre.

Chiba estima que "incontáveis" empresas de drones abrirão capital nos próximos cinco a 10 anos. As principais, afirma, se tornarão tão grandes quanto as fabricantes de veículos de hoje. E isso pode significar um grande retorno sobre o investimento. Mas esse, explica, não é seu objetivo principal.

"Em vez de ser um investidor financeiro, estou me posicionando como comandante da equipe do Japão para drones", disse. "O objetivo é ajudar o Japão a construir uma sociedade equipada com mobilidade aérea."

--Com a colaboração de Kiyotaka Matsuda.

Repórteres da matéria original: Ma Jie em Tóquio, jma124@bloomberg.net;Nao Sano em Tóquio, nsano3@bloomberg.net