PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Melhor ciclo do PlayStation prepara Sony para batalha na nuvem

Yuji Nakamura

29/10/2018 14h21

(Bloomberg) -- O PlayStation 4 é como um personagem de videogame impossível de ser derrotado.

Cinco anos após o lançamento, o console da Sony que custa US$ 300 registra um dos ciclos de produto mais fortes já vistos no setor graças a um fluxo constante de títulos de jogos populares. Isso ajudou a empresa com sede em Tóquio a vender o dobro de aparelhos PS4 do que a Microsoft de consoles Xbox One, mesmo sem o cronograma habitual de redução de preços.

Isso coloca a franquia da Sony em boa posição para enfrentar o próximo desafio da indústria de consoles, de US$ 34,6 bilhões: a oferta de jogos pela internet. Depois de anos de previsões de que os jogos na nuvem tornariam o hardware -- aparelhos e jogos baseados em discos -- obsoletos, a tecnologia finalmente parece estar pronta. Neste mês, o Project Stream, do Google, começou a permitir aos usuários americanos jogar a versão mais recente de Assassin's Creed em um navegador Google Chrome a partir de qualquer computador. A Amazon, que comprou o website de streaming de jogos Twitch e detém o serviço de computação em nuvem número 1, está em posição privilegiada para entrar no ramo dos jogos em nuvem.

"Dentro da história do PlayStation, este será o trimestre de festas de fim de ano mais forte de todos os tempos", disse Masaru Sugiyama, analista do Goldman Sachs. "Até agora a Microsoft era a única rival, mas com a chegada de Google e Amazon, vai ser mais difícil se destacar."

Por enquanto, o domínio da Sony no ramo de consoles -- 84 milhões de PS4 contra 39 milhões de Xbox One -- está compensando. Analistas estimam que a empresa deve registrar lucro operacional de 790 bilhões de ienes (US$ 7 bilhões) no ano fiscal atual. O título exclusivo para PS4 Spider-Man, que foi lançado no mês passado e estabeleceu recordes de vendas da empresa, será a maior contribuição para o crescimento do lucro quando o CEO Ken Yoshida divulgar os resultados trimestrais da empresa, em 30 de outubro, segundo analistas.

A grande dúvida é se o sucessor do PS4 será projetado para comportar jogos na nuvem, para incluir jogos portáteis, para aprofundar a realidade virtual e aumentada -- ou para tudo isso. A Sony ainda não definiu data para o lançamento do console que provavelmente se chamará PlayStation 5. Uma coisa com a qual analistas e especialistas em jogos concordam é que a próxima geração de consoles provavelmente será compatível com versões anteriores, ou seja, que os usuários poderão jogar PS4, e vice-versa. Isso criará uma transição mais suave, ajudando a manter os jogadores dentro do ecossistema da Sony e longe das concorrentes voltadas aos jogos na nuvem.

"Se eu já tiver um monte de jogos conectados à minha conta, com todos os meus troféus e progressos salvos, a última coisa que vou querer é abandonar tudo isso e passar para outra plataforma", disse Damian Thong, analista do Macquarie Group.