PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Contrabandistas de ouro usam carros para evadir imposto na Índia

Swansy Afonso

10/12/2018 16h15

(Bloomberg) -- Devido ao imenso apetite da Índia por ouro, os contrabandistas estão usando a criatividade para contornar o elevado imposto de importação do país.

Na semana passada, a Diretoria de Inteligência de Receita do país prendeu quatro pessoas pelo contrabando de 66 quilos de ouro, avaliados em cerca de 210 milhões de rupias (US$ 3 milhões), e apreendeu quatro carros em operações em dois estados do norte que fazem fronteira com Nepal, Butão e Bangladesh, segundo comunicado do Escritório de Informações à Imprensa. Os indianos podem viajar livremente ao Butão e ao Nepal devido a tratados bilaterais.

O segundo maior consumidor mundial de ouro elevou os impostos de importação três vezes em 2013 para controlar um déficit recorde em conta-corrente, e a taxa continua em 10 por cento. Os impostos elevados geraram uma onda de contrabando, incluindo tentativas de transportar lingotes em aviões e trens. Nos carros apreendidos na semana passada, havia ouro escondido em uma caixa especialmente construída e fixada atrás do painel e também em cavidades próximas à caixa de câmbio do carro e no banco do motorista.

Uma das operações foi realizada depois que a DIR recebeu informações de que uma quadrilha estava tentando contrabandear ouro estrangeiro do Butão para a Índia pela fronteira terrestre entre os países.

As autoridades aduaneiras da Índia apreenderam cerca de 2,63 toneladas de ouro de abril a novembro, segundo comunicado desta segunda-feira. O total é comparável à apreensão de 3,22 toneladas do ano fiscal 2017-2018, mais que o dobro do volume confiscado em 2016-2017. A suspeita é que os lingotes sejam contrabandeados por meio das fronteiras terrestres da Índia com Bangladesh, Myanmar, Nepal, Butão e China.

As quantidades são minúsculas em comparação com a demanda de 771 toneladas do ano passado e com as cerca de 200 toneladas que entraram ilegalmente no país durante o pico da atividade, em 2014, segundo uma associação comercial.