Topo

Aérea americana autoriza gorjetas individuais nos voos

Justin Bachman

2019-01-07T13:20:08

07/01/2019 13h20

(Bloomberg) -- Ao usar seu cartão de crédito para pagar um taco, uma cerveja ou o táxi, é muito provável que, antes da nota fiscal, seja solicitada uma gorjeta. Há alguns anos, essa opção chegou às empresas aéreas, para desgosto dos passageiros que se lembram de quando a maior parte da comida e da bebida lá nas alturas era grátis.

A Frontier Airlines, pioneira em gorjetas para comissários de bordo, dividia entre todos as gorjetas de cada voo. Mas a partir de 1º de janeiro, os 2.200 comissários de bordo da Frontier não dividirão mais suas gratificações. Agora, é cada um por si, e talvez o beneficiário seja o passageiro da empresa aérea importunado.

"Apreciamos o excelente trabalho dos nossos comissários de bordo e sabemos que os nossos clientes também, então [o tablet de pagamento] dá aos passageiros a opção de dar gorjetas", disse o porta-voz da Frontier, Jonathan Freed, na sexta-feira (4).

"Fica totalmente a critério do cliente, e muitos dão." Na verdade, também fica a critério do comissário de bordo: na Frontier, eles podem optar por acionar a opção de gorjeta.

Novo papel

Durante décadas, os comissários de bordo dos EUA enfatizaram seu papel como profissionais de segurança --lembrando aos passageiros que, sempre que for preciso, eles se transformam em equipes de emergência se alguém fica doente, fica belicoso ou se o voo tem algum problema. Empurrar o carrinho de bebidas seria apenas um trabalho secundário.

Essa mensagem teve um tremendo impulso com os atentados de 11 de setembro de 2001 e da subsequente reorganização geral do setor de empresas aéreas dos EUA.

À medida que as operadoras saíram da era da falência e começaram a aumentar os salários de pilotos e comissários de bordo, elas também começaram a investir em padrões de serviço de bordo como forma de aumentar as passagens ao mesmo tempo em que buscavam ajustes em outros lugares.

A Association of Flight Attendants, que representa os funcionários da Frontier, se opôs à introdução de gorjetas em 2016. "A administração avançou com uma opção de gorjeta para os passageiros na esperança de dissuadir os comissários de se unirem para obter um contrato justo --e em uma tentativa de repassar os custos adicionais para os passageiros", escreveu a presidente da AFA, Sara Nelson, em email na sexta-feira.

Novo sistema

O sistema de pagamento por tablet da Frontier permite que os comissários de bordo pulem a tela de gorjeta quando um cliente paga; a empresa aérea afirmou que não registra a frequência com que os comissários de bordo solicitam gorjetas por meio dos tablets.

A Frontier preferiu não divulgar detalhes sobre quanto entrega mensalmente em gorjetas, mas Freed, o porta-voz da empresa aérea, disse que os comissários de bordo ganharam "milhões de dólares" em gorjetas nos últimos três anos. (O sindicato não contestou essa estimativa.)

A Frontier, com sede em Denver, EUA, parece estar na vanguarda. Duas outras aéreas americanas de baixo custo, a Spirit Airlines e a Allegiant Travel, não incluem gorjetas em seus sistemas de pagamento do cliente. A Allegiant também tem uma política contra gorjetas.

"Eu acho que parece um restaurante e, francamente, essa não é uma imagem que as empresas aéreas querem ter", disse Henry Harteveldt, passageiro frequente e fundador do Atmosphere Research Group, que analisa o setor de viagens.

Ele disse que a nova política pode fazer com que alguns comissários de bordo ganhem menos que os colegas e também pode afetar o nível de atendimento a bordo, dadas as possíveis diferenças entre quem dá gorjetas generosas e os outros.

"Isso pode realmente complicar o serviço da Frontier", disse Harteveldt.

Mais Economia