PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Banda da SEC agita paralisação do governo dos EUA

Robert Schmidt e Ben Bain

21/01/2019 14h17

(Bloomberg) -- Os advogados da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) que subiram ao palco do Rock & Roll Hotel, em Washington, na noite de quinta-feira, receberam elogios por processar o Goldman Sachs e por redigir regras para traders de Wall Street. Desta vez, seus maiores sucessos foram mais da variedade heavy metal.

Incentivados pela paralisação do governo, os funcionários da SEC -- que também tocam em uma banda chamada G.O.A.T. Rodeo -- fizeram um show para colegas vítimas da licença forçada. O plano era arrecadar dinheiro para um fundo de caridade para ajudar os funcionários federais e aliviar parte da crescente pressão dos últimos 30 dias.

"Estávamos enlouquecendo um pouco em minha casa, perturbados por não trabalhar", disse Stacy Puente, advogada da SEC, antes de iniciar o sucesso "Crazy Train", de Ozzy Osbourne.

A multidão, formada por muitos que também vêm perdendo salários e que não podem ir trabalhar na SEC e em outras agências, balançava a cabeça e erguia os punhos no ar. A banda, que inclui Puente nos vocais e colegas da SEC na guitarra, nos teclados e na bateria, claramente também estava se divertindo. Um dos integrantes que não faz parte da SEC, o cartunista editorial Tom Toles, do Washington Post, vencedor do prêmio Pulitzer, até usava chifres falsos.

"Estávamos um pouco entediados", disse o baterista Reid Muoio, advogado da SEC que deixou o cabelo crescer desde que ficou famoso pela atuação na investigação pós-crise da agência sobre a comercialização de obrigações de dívida garantidas pelo Goldman. O banco fechou acordo em 2010 e pagou US$ 550 milhões.

O show foi anunciado com o nome "Fed Up!" ("Fartos!") e os ingressos eram gratuitos para quem apresentasse identificação do governo. Todos os demais pagaram US$ 15. A bebida mais consumida foi a cerveja Pabst Blue Ribbon em latões.

Não se pôde encontrar os tais trabalhadores que o presidente dos EUA, Donald Trump, continua dizendo que são favoráveis a manter boa parte do governo fechado até que ele consiga cerca de US$ 5,7 bilhões para seu muro na fronteira.

A banda transmitiu mensagens não muito sutis com uma lista de covers de músicas famosas que incluiu "Highway to Hell", do AC/DC, e "Creep", do Radiohead, esta dedicada a Trump, e "Another Brick in the Wall", do Pink Floyd. Nas duas últimas músicas, somou-se a eles um grupo de crianças vestindo camisetas que diziam "Mother Should I Trust the Government?" ("Mãe, devo confiar no governo?").

Em entrevista após o show, Puente disse que estava ansiosa para voltar ao trabalho, onde tem a função de ajudar a redigir uma nova regra para conflitos de interesse no setor de corretagem, entre outras. O trabalho da SEC, observou ela, é importante para milhões de americanos e suas economias.

"O público de pequenos investidores precisa sentir que alguém está supervisionando os mercados", disse ela.

Repórteres da matéria original: Robert Schmidt em Washington, rschmidt5@bloomberg.net;Ben Bain em Washintgon, bbain2@bloomberg.net