PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Gigante dos drones pode ter prejuízo de US$ 150 mi com fraudes

Lulu Yilun Chen

21/01/2019 14h13

(Bloomberg) -- A DJI descobriu casos de fraudes envolvendo seus próprios funcionários que podem gerar cerca de 1 bilhão de yuans (US$ 150 milhões) em prejuízos para a maior fabricante de drones do mundo, um dos maiores casos recentes de corrupção entre as gigantes da tecnologia da China.

A SZ DJI Technology, que descobriu os atos de corrupção em investigação interna, anunciou que demitiu vários funcionários que inflaram custos de peças para obter ganho pessoal e entraram em contato com as autoridades. A fabricante de drones ainda está investigando a situação, que é "extensa" e envolve uma grande quantia, afirmou em comunicado. A empresa não informou quantos funcionários se envolveram nos atos de corrupção.

A DJI, que emprega 14.000 pessoas em todo o mundo, é líder absoluta em drones para consumidores, com quase três quartos do mercado. O caso expõe uma falha nos controles internos de uma das gigantes do ramo de tecnologia de consumo mais famosas do país, um símbolo do crescente alcance global de um conjunto de empresas de rápido crescimento com sede na metrópole de Shenzhen, no sul do país. Hong Yongxin, porta-voz da empresa, confirmou o valor do prejuízo em comunicado separado.

"Estamos adotando medidas para reforçar os controles internos e estabelecemos novos canais para que os funcionários enviem informações confidenciais e anônimas relacionadas a qualquer violação das políticas de conduta no ambiente de trabalho da empresa", informou a empresa, em comunicado enviado por mensagem. "Continuamos investigando a situação e estamos cooperando plenamente com a investigação das autoridades."

Nos últimos anos a DJI também começou a explorar uma arena corporativa ainda bastante aberta. A empresa desenvolveu veículos aéreos não tripulados para agricultura e levantamentos em um momento em que dezenas de concorrentes de todo o mundo inundam o mercado com drones baratos, de brinquedos de US$ 10 a transportadores de câmeras de menos de US$ 100. Seu drone Mavic 2, de US$ 1.999, é voltado diretamente a um segmento corporativo que responde por mais da metade de um mercado de US$ 9 bilhões.

Entre outras coisas, a empresa lançou um kit de desenvolvimento que permite que os desenvolvedores de software criem aplicativos para tarefas específicas, a exemplo de como a Apple atende seus iPhones. Em outubro, a empresa anunciou acordos para o Mavic 2, que em breve fará levantamentos para redes de energia para a Southern, e a American Airlines testará a aeronave para inspeções de aviões.