PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Melhor fundo de ações nórdico aposta em escassez de peixes

Jonas Cho Walsgard

22/01/2019 11h39

(Bloomberg) -- O fundo de ações da região nórdica com o melhor desempenho em 2018 investiu somente em frutos do mar.

O fundo norueguês Holberg Triton avançou 13 por cento em um ano em que muitos sofreram prejuízos. Foi o maior retorno entre os fundos de ações com sede nos países nórdicos, de acordo com a empresa de análise de fundos Morningstar.

Em um momento em que o setor de carne é cada vez mais atacado, o fundo com sede em Bergen, Noruega, espera captar a crescente demanda por proteínas mais saudáveis e sustentáveis de uma classe média global em crescimento. Muitas ações de produtores de peixes têm disparado nos últimos anos, o que levantou dúvidas sobre suas avaliações. Mas o número de peixes no mar é limitado e agora o setor enfrenta restrições na oferta, o que pode ajudar a sustentar os preços da commodity e das ações.

"O que vemos no começo de 2019 é que provavelmente o volume se manterá estável, e é possível projetar pressões para uma alta dos preços", disse Jann Molnes, que administra o fundo, em entrevista na semana passada. "Se tudo o mais continuar igual, haverá menos crescimento disponível e isso indica expectativas de preços pelo menos boas no futuro."

Os principais ativos do fundo são a Leroy Seafood Group, a Vinh Hoan, a Clearwater Seafoods e a Bakkafrost.

Algumas empresas "parecem caras", mas o Holberg Triton tem mantido um viés conservador em suas participações, disse ele.

"Nada indica que elas estejam caras ou que apresentem um risco maior em relação aos resultados", disse ele.

O índice de referência Oslo OBX tem um múltiplo de preço/lucros de 13,5, em comparação com 12,4 para o Holberg Triton em 2019.

No entanto, os produtores de salmão da Noruega enfrentam um grande risco: o governo está avaliando se vai impor um imposto sobre recursos e uma comissão emitirá seu parecer em novembro. A análise foi provocada pelos "retornos extraordinários" do setor.

Molnes disse que um novo imposto seria uma medida equivocada do governo, que está reagindo aos retornos gerados por uma base de observações muito estreita.

"É um setor que industrializa a produção de alimentos", disse ele. "É um setor ainda jovem que tem grandes oportunidades de crescimento. É preciso permitir que ele continue crescendo."