PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Produtora de cannabis Aphria rejeita oferta da Green Growth

Eric Pfanner e Kristine Owram

06/02/2019 16h48

(Bloomberg) -- A Aphria rejeitou uma oferta hostil de aquisição da Green Growth Brands, afirmando que a proposta subestimou o valor da produtora de cannabis canadense.

A oferta da Green Growth, entregue no mês passado, representa um desconto de 23 por cento no preço das ações da Aphria com base no preço médio ponderado por 20 dias de volume das ações da Green Growth imediatamente antes do anúncio da oferta, afirmou a Aphria em comunicado. As ações canadenses da Aphria subiram cerca de 75% desde que a Green Growth sinalizou pela primeira vez sua intenção de lançar a oferta no fim de dezembro.

"Independentemente das tentativas descaradas deles de sugerir o contrário, a GGB está pedindo aos acionistas da Aphria que aceitem um valor significativamente menor por suas ações", disse o presidente do conselho da Aphria, Irwin Simon.

A Green Growth, com sede em Columbus, Ohio, EUA, lançou formalmente a oferta não solicitada em janeiro, após um ataque de vendedores a descoberto à Aphria. Com base nos preços de fechamento de terça-feira, a oferta é avaliada em 2,3 bilhões de dólares canadenses (US$ 1,74 bilhão), bem abaixo do valor de mercado atual da Aphria, de 3,31 bilhões de dólares canadenses. A diferença entre a oferta da Green Growth e o preço atual das ações da Aphria é a segunda maior entre as 101 transações monitoradas atualmente pela Bloomberg.

A Green Growth é flexível e está aberta a negociações, disse o CEO Peter Horvath em entrevista por telefone, no fim de janeiro. Uma porta-voz disse na quarta-feira que a empresa não podia comentar imediatamente a declaração da Aphria.

Se a oferta for aceita, esta será a primeira grande aquisição internacional do setor de cannabis. O Canadá legalizou o uso recreativo da maconha em outubro e diversos estados americanos permitem o uso medicinal ou recreativo da droga, que continua proibida em nível federal.

Segundo os termos da oferta, os investidores da Aphria têm até 9 de maio para oferecer suas ações.

A empresa canadense disse que o negócio "destruiria valor" para os acionistas ao reduzir a participação de possíveis parceiros estratégicos. Por meio do acordo, os acionistas da Aphria entregariam aos investidores da Green Growth uma participação de 36 por cento "em troca de ações em uma empresa com operações ou outras experiências limitadas no setor de cannabis", segundo o comunicado.

Oferta cronometrada

Isso também forçaria a empresa combinada a retirar-se imediatamente da Bolsa de Valores de Toronto e da Bolsa de Nova York, que não permitem a negociação de empresas de cannabis com operações nos EUA, reduzindo a liquidez para os acionistas da Aphria, disse a companhia.

"A GGB claramente cronometrou sua oferta para explorar as baixas recentes da Aphria e das ações de cannabis em geral, com o objetivo de transferir valor para pessoas com informação que controlam a GGB à custa dos acionistas da Aphria", disse Simon em comunicado.

A Green Growth também planeja concluir um financiamento de capital de terceiros de 300 milhões de dólares canadenses a 7 dólares canadenses por ação para financiar o negócio.

Seu maior acionista, apoiado pela fortuna de varejo da família Schottenstein, de Ohio, concordou em comprar até 150 milhões de dólares canadenses em ações para respaldar o financiamento, mas a Aphria afirmou que não há garantia de que seja capaz de concluir a operação.

O Scotiabank, que atua como consultor financeiro da Aphria, enviou por escrito a opinião de que a proposta é inadequada, disse a empresa.

Repórteres da matéria original: Eric Pfanner em Londres, epfanner1@bloomberg.net;Kristine Owram em Toronto, kowram@bloomberg.net