PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Citi se inspira no choque do petróleo ao ver minério a US$ 100

Jake Lloyd-Smith

05/03/2019 18h54

(Bloomberg) -- Minério de ferro pode subir para US$ 100 a tonelada quando a crise de oferta chegar ao ápice no mercado em meados do ano, segundo o Citigroup, que comparou a situação do metal com o de choque semelhante do mercado de petróleo para reforçar seu ponto de vista de que os investidores ainda não precificaram os riscos para a matéria-prima para a siderurgia.

O mercado de minério de ferro perdeu 4% da oferta após colapso da barreira da Vale e com a redução da produção de minas, e a lacuna será dificilmente substituída, segundo nota de analistas incluindo Tracy Xian Liao. Os preços podem subir, já que as usinas da China voltarão a comprar novamente após reduzirem os estoques, disseram. Minério de ferro era negociado a US$ 87,15 nesta terça-feira.

"Estimamos que a hora decisiva será no meio do ano" para o minério de ferro, disseram os analistas. A produção perdida do Brasil "é equivalente a um choque de 4 milhões de barris de petróleo por dia - mais de três vezes o recente corte da oferta pela OPEP", disse o Citi, referindo-se ao cartel dos produtores que está reduzindo a produção para reavivar os preços.

Minério de ferro tem se mostrado instável nas cinco semanas que se seguiram ao desastre mortal da barragem da Vale em Brumadinho, o que levou a cortes significativos de operações da mineradora. Os preços de referência subiram para os US$ 90/ton, depois devolveram parte do ganho, mesmo quando outras mineradoras disseram que não poderiam aumentar a produção. No mercado de petróleo, a Opep e seus aliados têm reduzido os fluxos em uma tentativa de sustentar o mercado, com reduções intencionais reforçadas por perdas não planejadas no Irã e crises da Venezuela.

BHP disse na terça-feira que está operando a plena capacidade suas minas de minério de ferro e que a empresa não está em posição de adicionar mais toneladas. Mesmo com preços mais altos, a empresa não tem uma alavanca secreta que possa puxar para produzir mais, disse Mike Henry, presidente de operações da BHP para seus negócios de minérios na Austrália, nos bastidores de uma conferência.

O Morgan Stanley estimou a perda de oferta da Vale em 75 milhões de toneladas por ano, o equivalente a 5% do mercado transoceânico, e elevou a projeção para os preços em 2019 em 30% para US$ 81, de acordo com um relatório. Ainda assim, o banco advertiu que o golpe seria atenuado por uma redução nos estoques portuários, bem como por uma resposta por outras mineradoras. Até 2020, os preços devem voltar a US $ 68, disse.