PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

NY estuda brechas usadas para driblar regra de altura de prédios

Sydney Maki

22/03/2019 15h27

(Bloomberg) -- No coração de muitos dos arranha-céus residenciais mais altos de Nova York há "espaços mecânicos". Eles estão crescendo em número e tamanho e o conselho da cidade e o prefeito Bill de Blasio já se cansaram.

De fora, muitas vezes são apenas faixas sem janelas que cobrem o equivalente a vários andares. Dentro há equipamentos para manter o funcionamento do prédio e espaços vazios, às vezes muitos. A altura adicionada por salas mecânicas não entra na conta da área construída de uma torre que as incorporadoras precisam que seja aprovada pela cidade, por isso podem ser usadas para tornar os edifícios mais altos. Com uma altura maior surgem vistas de coberturas mais caras e o direito de contar vantagem, garantido pela estatura.

Os críticos veem a prática como potencialmente perigosa porque obriga bombeiros e médicos, ao atenderem emergências, a cobrirem distâncias muito maiores -- às vezes inesperadas, já que os espaços vazios não são andares numerados.

"Isto é um sintoma de tudo o que está se tornando errado na nossa sociedade, na qual as incorporadoras preferem construir espaços vazios em edifícios para bilionários do que moradias acessíveis", disse Ben Kallos, membro do conselho da cidade de Nova York. "Não estamos dizendo que isso não possa ser feito. O que estamos dizendo é que se você tem uma quantidade limitada de área que pode usar para erguer um prédio, você precisa usar essa área construída."

Fechando a brecha

Uma emenda apresentada pelo departamento de planejamento a pedido de De Blasio limitaria os espaços mecânicos a uma altura de 25 pés (7,6 metros) e exigiria que diversos andares mecânicos estivessem a pelo menos 75 pés (22,8) de distância entre si. Caso contrário, eles seriam considerados na área construída do edifício conforme definido pelas regras de zoneamento, que determinam a altura de um prédio.

Kallos teme que, sem intervenção, os espaços mecânicos simplesmente continuem crescendo -- para 300, 400 ou 500 pés verticais (152 metros) de espaço morto. A prática é especialmente notável no Billionaire's Row -- uma faixa de edifícios residenciais superluxuosos ao sul do Central Park. Os espaços mecânicos representam cerca de um quarto da 432 Park Avenue, a mais alta torre residencial concluída de Manhattan, segundo Kallos. A arquitetura minimalista e quadrada do edifício pode ser vista de todos os distritos.

Margem de manobraA emenda da cidade é um passo na direção certa, mas deixa muita margem de manobra, disse a presidente do distrito de Manhattan, Gale Brewer, durante audiência pública. A proposta não engloba os espaços não fechados, como terraços, e afetaria apenas algumas partes do distrito, deixando de fora partes específicas do Billionaire's Row, que segundo ela "enfrenta uma ameaça iminente". As mudanças de zoneamento propostas cobririam áreas nas regiões de Upper East, Upper West e Midtown e perto da ponta sul de Manhattan.

"Precisamos de uma abordagem mais abrangente", disse ela à Comissão de Planejamento da Cidade. "O objetivo de fechar uma brecha é não deixar aberturas que possam ser exploradas pelas incorporadoras."