PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Blackstone aposta em testes caros para novas medicações

Rebecca Spalding

26/04/2019 15h42

(Bloomberg) -- O Blackstone Group está apostando que pode usar seu considerável poder financeiro para ter sucesso no que até as maiores farmacêuticas ainda precisam de ajuda: obter medicamentos promissores do desevolvimento até a fase final de aprovação.

No ano passado, a gigante de private equity arrebatou a Clarus, uma empresa de investimentos especializada em financiar pesquisas para medicamentos experimentais que foram abandonados quando seus desenvolvedores originais frearam os estudos. A empresa agora opera como Blackstone Life Sciences.

"A oportunidade aqui é potencialmente muito grande", disse Joe Baratta, chefe global de private equity da Blackstone, em uma entrevista na sede da empresa. Ele disse que a firma quer se tornar uma fonte de capital para grandes empresas farmacêuticas, trazendo novos tratamentos aos pacientes.

O desenvolvimento de novos medicamentos é notoriamente difícil e caro. São necessários cerca de US$ 2,6 bilhões e uma década de pesquisa para trazer uma nova droga desde o início até a aprovação da FDA, de acordo com um estudo de 2014 da Tufts University.

O estágio final da pesquisa, no qual a segurança e eficácia de uma terapia experimental são testadas, é o mais caro. Isso significa que até mesmo grandes empresas farmacêuticas multinacionais precisam escolher quais terapias interromper e quais avançar.

Como resultado, medicamentos promissores às vezes não se desenvolvem por razões financeiras, criando uma abertura para investidores com recursos e apetite por risco. Embora os estudos de estágio avançado sejam caros, os medicamentos que eliminam as barreiras científicas anteriores acabam tendo sucesso em quase 60% das vezes, segundo um grupo do setor de biotecnologia.

A Blackstone está tentando ampliar seus horizontes de investimento e gerar mais crescimento. Empresas de tecnologia em rápida expansão atraíram grandes apostas de investidores que buscam retornos satisfatórios, mas os líderes da Blackstone vêem potencial inexplorado em torno da biotecnologia e dos produtos farmacêuticos.

PUBLICIDADE