PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Trump Tower agora está entre edifícios menos desejados de NY

Shahien Nasiripour

14/05/2019 15h06

(Bloomberg) -- A Trump Tower, antes a joia da coroa do império imobiliário de Donald Trump, agora é considerada um dos edifícios de luxo menos desejados em Manhattan.

O prédio, construído há 36 anos, se transformou em uma fortaleza desde que Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos, cercado por barreiras de concreto e com as duas entradas principais parcialmente bloqueadas. Há anos espera por uma ampla reforma. E o nome de Trump causa grande rejeição na liberal Nova York.

Para quem possui um apartamento na torre, os últimos dois anos foram difíceis. A maioria das vendas de condomínios trouxe perdas corrigidas pela inflação, segundo registros de propriedades. Vários imóveis foram vendidos com perda superior a 20%. Em contraste, em Manhattan, apenas 0,23% das residências foram vendidas com prejuízo nos últimos dois anos, segundo a consultoria de dados imobiliários PropertyShark.

O cenário atual é muito diferente dos dias em que o marco de Nova York atraía nomes como Michael Jackson, Johnny Carson e Steven Spielberg. Atualmente, a torre é mais conhecida por ter sido o local de uma reunião da campanha Trump com um advogado russo destacada no relatório de Robert Mueller sobre o esquema russo.

Embora alguns imóveis do império comercial de Trump tenham prosperado, como seu hotel em Washington, outros sofreram com sua alta impopularidade. As rodadas de golfe são menos frequentes em seu campo público em Nova York, vários edifícios com a marca Trump retiraram o nome do presidente de suas fachadas e um plano ambicioso para lançar uma nova rede de hotéis de nível médio em todo o país fracassou.

Trump deve fornecer uma atualização de seu patrimônio líquido esta semana, com a divulgação de dados financeiros anuais prevista para quarta-feira. Os documentos não vão dar detalhes sobre a receita da Trump Organization, mas está claro que os resultados da Trump Tower foram afetados, de acordo com documentos enviados à comissão de valores mobiliários, registros de propriedades, preços de imóveis à venda e entrevistas com especialistas do setor.

A taxa de ocupação da Trump Tower despencou nos últimos sete anos, de 99% para 83%, resultando em uma taxa de vacância que é quase o dobro da média de Manhattan.

"Se eu estivesse procurando espaço para escritórios, seria um edifício que evitaria", disse Edward Son, até recentemente analista de mercado da CoStar Group.

A Trump Organization não respondeu aos pedidos de comentário.

Proprietários de condomínios que esperam encontrar o presidente ocasionalmente ficam desapontados. Embora Trump tenha coordenado sua campanha presidencial no arranha-céu, o presidente só visitou o edifício 13 vezes desde sua posse, segundo uma contagem da NBC News.

Um agente imobiliário de Nova York, que não quis ser identificado, disse que seus clientes dizem repetidamente que não querem ver espaços em edifícios de Trump.