PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ser rico em NY é mais questão de dinheiro do que ter imóveis

Suzanne Woolley

15/05/2019 14h59

(Bloomberg) -- A quantia de dinheiro que classifica uma pessoa como rica pode variar muito dependendo da cidade.

Sabemos que, quanto mais idade, maior é a exigência para ser considerado rico. Mas uma influência ainda maior sobre esse número pode depender de onde você mora. Ser rico em Denver não significa nem de perto o que é ser rico em São Francisco ou em Nova York.

Pessoas que residem na região da Baía de São Francisco - ou que pelo menos tentam morar - têm o maior padrão de exigência na definição do patrimônio líquido necessário para ser rico na cidade onde moram: uma média de US$ 4 milhões, segundo a pesquisa Riqueza Moderna, da Charles Schwab. E, se restringirmos a pesquisa apenas aos baby boomers ??(com idades entre 55 e 73 anos), a média salta para US$ 5,1 milhões.

A pesquisa da Schwab é uma amostra nacional de 1.000 entrevistados com idades entre 21 e 75 anos; para resultados de cidades, a Schwab entrevistou entre 500 e 700 pessoas em cada município.

As moradias são, sem dúvida, notoriamente caras e escassas em São Francisco, onde até mesmo profissionais de tecnologia altamente remunerados têm dificuldade de comprar imóveis. Um ranking do site imobiliário Trulia, com as 100 maiores áreas metropolitanas, revelou que, no fim de 2018, 81% dos imóveis na área metropolitana de São Francisco valiam US$ 1 milhão ou mais. Em 2017, esses imóveis respondiam por 67,3% do total. Nos EUA, cerca de 3,6% dos imóveis valem esse preço, segundo a Trulia.

Esses valores turbinados, no entanto, significam que mais imóveis estão à venda em cidades caras como São Francisco e Seattle, em parte porque, mesmo em lugares tão gentrificados, o número de pessoas que podem pagar esses valores ainda é relativamente pequeno.

Os boomers da costa leste, em Nova York e Washington, disseram, por sua vez, que precisariam entre US$ 3,5 milhões e US$ 3,6 milhões para serem considerados ricos em suas cidades. Mas, no relatório da Trulia, a porcentagem de residências no valor de US$ 1 milhão ou mais na cidade de Nova York e Washington correspondia a 10,3% e 4,9%, respectivamente, muito abaixo da Baía de São Francisco.

Portanto, seria correto dizer que, em Manhattan e pelo menos na capital do país, você precisa de mais dinheiro do que imóveis caros para ser considerado um plutocrata.