PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Cinco assuntos quentes para o Brasil hoje

Patricia Lara e Felipe Saturnino

22/05/2019 08h32

(Bloomberg) -- Câmara aprova MP que amplia capital estrangeiro em cias. aéreas e texto vai hoje para Senado. É um sinal de que a agenda legislativa foi destravada. Dia tem testes importantes com a votação da reforma administrativa na Câmara e reforma tributária do próprio Legislativo na CCJ. Ainda há desconfortos como o atrito entre Maia/Vitor Hugo. Natura pode comprar Avon por mais de US$ 2 bi, diz FT. EUA indicam nova escalada em restrições. Veja destaques:

Proatividade do Congresso

A atuação do Congresso neste início de semana está sendo lida pelo mercado como uma mostra de protagonismo para a condução da agenda, que consegue andar apesar dos problemas do governo. A pauta desta quarta-feira é relevante e traz as votações da MP da reforma dos ministérios e da reforma tributária na CCJ. Um sinal importante já veio da aprovação da MP que libera o capital estrangeiro nas aéreas ontem. O contraponto negativo vem do desgaste entre o líder do governo, deputado Major Vitor Hugo, e Rodrigo Maia. À Bloomberg, o presidente da Câmara disse que não rompeu com o líder porque nunca teve relação.

Aéreas com capital estrangeiro

Medida Provisória que autoriza até 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras foi aprovada no fim da noite de terça-feira, segundo Câmara Notícias. Texto, que perde validade hoje, segue para o Senado. Nesta terça-feira, a Gol e a Azul já disparam com expectativa da aprovação da MP e ajudaram a impulsionar a recuperação da Bolsa. Também foi aprovada a inclusão na MP da volta da franquia mínima de bagagem, que permite ao passageiro levar uma mala de até 23kg sem pagamento adicional.

Guedes e a manifestação

Paulo Guedes disse a Jair Bolsonaro que a convocação de manifestações em defesa do governo e contra o Congresso e o Supremo pode atrapalhar a reforma da Previdência, diz o Painel da Folha, citando relatos feitos a deputados. Segundo o jornal, a mudança de tom do presidente é atribuída a Guedes. No final do dia, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que o governo não vê como adequada a participação de ministros nem do próprio presidente na manifestação - após especulações de que ele poderia participar. Segundo ele, os protestos de domingo devem ser pacíficos, e não contra grupos ou instituições. Governo deve cortar previsão do PIB de 2,2% para 1,6%, ao apresentar relatório de receitas e despesas na quarta-feira, disse uma fonte do governo com conhecimento direto do assunto sob condição do anonimato. Novo contingenciamento deve ser evitado por meio de uso de reserva orçamentária.

Guerra em tecnologia

Nasdaq futuro aponta queda, enquanto ações europeias revertem baixa para alta em meio à notícia de que EUA podem impor retrições a acesso de outras 5 companhias chinesas a componentes e tecnologia norte-americanos. Entre os potenciais alvos estaria a Hangzhou Hikvision, que despencou. Em dia de ata do Fomc, com divulgação às 15:00, dólar reduz alta inicial e era cotado em baixa ante todos os pares do G-10, com exceção da libra esterlina, que é pressionada por riscos políticos no Reino Unido. Ante emergentes, dólar tem desempenho misto. Petróleo recua, mas minério de ferro sobe no mercado chinês.

Negócio Natura-Avon à vista

A Natura concordou em adquirir a Avon, em negócio avaliado em mais de US$ 2 bi, diz o Financial Times, citando pessoas não identificadas com conhecimento direto do assunto. Natura terá cerca de 76% da empresa resultante de fusão com a Avon, e restante ficará em posse dos acionistas da Avon, cujo atual valor de mercado é de US$ 1,41 bi. Previsão é que anúncio do negócio ocorra nesta quarta-feira. Na semana passada, a empresa disse que mantinha discussões com bancos para obter financiamento para o negócio.