PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Castelo ocupado por nazistas na República Checa tem novo dono

James M. Gomez e Lenka Ponikelska

28/05/2019 15h49

(Bloomberg) -- O castelo na vila de Panenske Brezany, na República Checa, é um monumento em ruínas à grandeza e patrimônio cultural da Europa do século XX, e também uma poderosa lembrança de seus horrores.

Os jardins eram um paraíso quando faziam parte da propriedade do barão do açúcar judeu Ferdinand Bloch-Bauer, antes da Segunda Guerra Mundial. Sua esposa, Adele, foi uma defensora da arte imortalizada por Gustav Klimt em um quadro que ficou conhecido como a "Mulher de Ouro". Então vieram os nazistas, Bloch-Bauer teve de fugir para a Suíça e Reinhard Heydrich, o todo-poderoso do território tcheco ocupado, passou a morar no local.

Após décadas de abuso e negligência durante a era da Checoslováquia como estado satélite soviético, hoje a mansão ao norte de Praga está decrépita, o jardim de outrora tão bem cuidado mais parece uma selva e os leões de pedra que enfeitam silenciosamente o portão são quase irreconhecíveis. O que vai acontecer agora com a propriedade rural de quase 7 hectares depende do comprador anônimo que pagou 39 milhões de coroas (US$ 1,7 milhão) em um leilão este mês.

O prefeito do distrito calcula que a restauração da propriedade vai custar pelo menos 100 milhões de coroas, com regras rígidas sobre como pode ser reformada, porque é classificada como historicamente importante. A parede externa de pedra e tijolo está desmoronando em alguns lugares. No interior, há telhas penduradas e fios descascados.

"Dói ver a decadência do castelo", suspirou Alena Vidimova, de 87 anos, enquanto manuseava vagarosamente os postais da época dourada do castelo anteriores à guerra. "Estava em ótimo estado, havia um lindo parque e agora tudo está abandonado."