PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

LDC fecha empréstimo de US$ 750 mi atrelado a metas ambientais

Andy Hoffman

28/05/2019 12h30

(Bloomberg) -- A Louis Dreyfus, uma das quatro maiores tradings de commodities agrícolas do mundo, fechou uma linha de crédito de US$ 750 milhões com custos atrelados a metas ambientais.

A empresa com sede em Roterdã disse em comunicado que as taxas da linha de crédito rotativo de três anos serão parcialmente atreladas às emissões de carbono, consumo de eletricidade, uso de água e resíduos enviados para aterros sanitários. A empresa não deu detalhes.

Este é pelo menos o segundo empréstimo desse tipo para uma trading de commodities. No ano passado, a Gunvor, um das cinco maiores tradings independentes de petróleo, fechou um empréstimo para suas refinarias de US$ 745 milhões atrelado às emissões de gases de efeito estufa e desempenho em segurança.

Tais empréstimos permitem que traders reduzam os custos dependendo de como atingem métricas predeterminadas. Bancos começam a aumentar a oferta dos chamados empréstimos verdes, em parte porque ajudam a atingir as metas internas de sustentabilidade.

O financiamento de comércio exterior é vital para tradings de commodities que precisam de empréstimos de curto prazo para financiar operações de compra, transporte e venda de matérias-primas em todo o mundo. O novo empréstimo verde da LDC substitui o financiamento anterior de US$ 750 milhões.

O financiamento foi liderado pelo BNP Paribas, Bank of America, ICBC, ING, MUFG, Société Générale e SunTrust, segundo a LDC. O ING atuou como agente estruturante de sustentabilidade no acordo, e o BNP como coordenador de sustentabilidade.