IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Demanda por peito bovino sobe com novas tecnologias para grelhar

Lydia Mulvany e Michael Hirtzer

19/06/2019 16h18

(Bloomberg) -- A demanda por peito bovino está em alta, levando a uma disparada dos preços, já que as inovações para grelhar facilitam o preparo desse tipo de carne.

Esse corte se originou no Texas e agora aparece nos cardápios de restaurantes em todos os Estados Unidos. Enquanto isso, os avanços na tecnologia de churrasqueiras permitem que amadores consigam pratos dignos de competição no quintal, o que impulsiona a demanda em ambas as frentes e eleva os preços a níveis recordes nos EUA, desafiando uma queda generalizada nos mercados de pecuária.

Antes cozinheiros amadores se intimidavam com o desafio de transformar as enormes fatias de carne em perfeição defumada. (Um corte completo pode pesar 8 quilos ou mais.) Com um defumador de pellets de madeira, é possível regular a grelha na temperatura desejada, dar um passeio e voltar entre 8 e 12 horas depois para encontrar uma carne perfeita.

Normalmente, quando se trata de preparar peito bovino, "99% das pessoas vão errar a mão", diz Shane Miller, vice-presidente sênior de carne bovina da Tyson Foods. "Mas, se você conseguir um defumador de pellets de madeira, se sentirá como um herói." A empresa voltou a lançar recentemente esse tipo de corte para seus clientes e identificou demanda em algumas varejistas.

O peito é uma exceção no mercado de carne bovina. A demanda por peito bovino tem se mantido constante no geral, mas a ampla oferta tem pressionado os preços da maioria dos cortes. Os preços de carne bovina no atacado estão nos níveis mais baixos para esta época do ano desde 2013. Até mesmo os preços da carne de porco, que ganhou impulso no início do ano devido à gripe suína africana que diminuiu os plantéis na China, caíram em relação ao pico de abril. Ao mesmo tempo, investidores fogem do mercado de carne bovina.

Gestores de recursos diminuíram a posição líquida comprada em carne bovina para 41.138 contratos futuros e opções em 11 de junho, segundo dados divulgados pela Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA na sexta-feira. A cifra, que mede a diferença entre apostas no aumento de preço e no declínio, é a mais baixa em quase um ano e está abaixo do pico deste ano em abril, de 154.550.

Em contrapartida, os preços do peito bovino no atacado subiram para um recorde de US$ 2,3993 a libra em 3 de junho e acumulam alta de 11% nos últimos 12 meses, segundo dados do Departamento de Agricultura dos EUA.

Economia