PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Energia limpa de hidrogênio depende de soluções de armazenamento

James Thornhill

10/07/2019 12h20

(Bloomberg) -- O hidrogênio pode desempenhar um papel fundamental na transição global para uma energia limpa, com uma série de tecnologias de armazenamento sendo desenvolvidas para melhorar a viabilidade econômica do combustível, segundo relatório da BloombergNEF.

"Como o uso de combustíveis fósseis é restringido para atender aos objetivos da redução de emissões, é preciso encontrar maneiras de armazenar energia de carbono zero a partir de fontes renováveis. O hidrogênio oferece uma possível solução", diz o relatório.

Armazenar hidrogênio nunca será tão barato quanto armazenar gás natural devido às suas propriedades físicas - ocupa de três a quatro vezes mais espaço -, mas o elemento pode ser guardado em grandes quantidades e em prazos longos, dando-lhe vantagem sobre as opções de armazenamento renovável, como baterias ou bombeamento de água.

As gigantes cavernas de sal são a maneira mais barata de armazenar hidrogênio em grandes volumes durante semanas ou meses, mas essas cavernas estão restritas a regiões com geologia favorável, como América do Norte e Europa. Atualmente, existem apenas seis cavernas desse tipo: três nos EUA e três no Reino Unido. As cavernas de rocha podem ser usadas em áreas onde as de sal não estejam disponíveis, mas a tecnologia ainda não foi comprovada.

Os contêineres pressurizados são muito usados para armazenar o combustível em pequenos volumes e por curtos períodos e, provavelmente, serão a principal tecnologia para a maioria dos novos projetos de hidrogênio até pelo menos 2025, segundo a BNEF. No entanto, os contêineres são caros e impraticáveis para o armazenamento em larga escala e a longo prazo.

Outras opções incluem o armazenamento de hidrogênio liquefeito ou amônia, que permitem que o combustível seja transportado para áreas sem acesso a dutos, embora o primeiro seja de alto custo e impossível de ser transportado por navios sob as regulamentações atuais, enquanto a amônia é tóxica e altamente inflamável e relativamente cara para ser convertida em hidrogênio.

Transportadoras de hidrogênio orgânico líquido (LOHCs), também em desenvolvimento, permitem o transporte usando a infraestrutura existente da indústria petrolífera, como navios e oleodutos, e poderiam oferecer economias de escala significativas. Um consórcio japonês, incluindo a Chiyoda, planeja montar uma cadeia de fornecimento de hidrogênio usando a tecnologia LOHC. No entanto, as LOHCs precisam competir com tecnologias mais estabelecidas e "é improvável que se tornem um meio de armazenamento de hidrogênio de larga escala pelo menos até a próxima década", disse a BNEF.

É provável que o desenvolvimento dessas soluções de armazenamento aconteça em fases, com cavernas de sal e contêineres pressurizados que, provavelmente, serão os mais proeminentes nos próximos anos, graças ao seu baixo custo e tecnologia comprovada.