PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Na envelhecida Cingapura, idosos aprendem a programar software

Yongchang Chin

13/09/2019 08h36

(Bloomberg) -- A maioria das pessoas de 65 anos de idade gostaria de encerrar suas carreiras ao chegar à aposentadoria.

Mas, em Cingapura, que tem uma das maiores expectativa de vida no mundo, de quase 85 anos, e onde o governo planeja aumentar a idade da aposentadoria em breve, trabalhadores estão sendo pressionados a aprender novas habilidades para permanecer produtivos.

Valerie Yeong-Tan, que trabalha há 47 anos na Singapore Telecommunications, é um exemplo. Ela é administradora do departamento de recursos humanos sem nenhum conhecimento prévio de programação, mas foi recentemente persuadida a fazer cursos de criação de bots para aperfeiçoar suas habilidades.

"O aprendizado é um processo permanente e quero manter minha mente ativa", disse a profissional de 65 anos, em entrevista no novo escritório da Singtel em Cingapura, onde realizará o treinamento. "Também espero incentivar e inspirar a geração mais jovem de trabalhadores e mostrar a eles que você pode aprender novas habilidades, não importa o quão longe esteja na carreira."

Yeong-Tan participou do curso Bot Maker Training, por quatro dias, e do Bot Maker Hackathon, por dois dias, ambos organizados pela Singtel, onde ela desconhecia a terminologia básica de programação. Agora, Yeong-Tan usa as novas habilidades para automatizar processos, como a elaboração de relatórios, orçamentos e outras tarefas repetitivas, economizando horas da jornada de trabalho.

Em Cingapura, onde a produtividade cai à medida que a força de trabalho envelhece, trabalhadores estão sendo incentivados a adquirir novas habilidades para um mundo digital.

Agências do governo como Workforce Singapore e SkillsFuture Singapore oferecem vários programas para ajudar na qualificação e contratação de profissionais. No ano passado, 431 mil cingapurianos recorreram ao SkillsFuture Credit - que subsidia cursos de treinamento aprovados pelo governo - em comparação com 285 mil em 2017.

As empresas também fazem sua parte. A Singtel disse na quinta-feira que investirá US$ 45 milhões (US$ 32,7 milhões) nos próximos três anos para aperfeiçoar as habilidades digitais de seus funcionários. Está oferecendo cursos e programas de treinamento internos adicionais em uma variedade de campos relacionados à tecnologia, que variam de recursos 5G à análise de dados.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net