PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

United oferecerá 1ª classe em voos para cidades menores dos EUA

Justin Bachman

24/10/2019 16h20

(Bloomberg) -- Não é todo dia que uma companhia aérea decide projetar seu próprio avião.

No domingo, a United Airlines Holdings transportará clientes em um novo jato regional criado sob suas especificações exatas, incluindo 10 assentos na primeira classe. Ao oferecer conforto superior em uma aeronave regional de apenas 50 lugares, a United espera preencher uma lacuna do competitivo segmento de viagens de cidades menores até seus hubs em Chicago e Newark (aeroporto em Nova Jersey, próximo a Nova York).

De fora, o jato se parece com qualquer outro CRJ-700 da Bombardier, o cavalo de batalha de 70 assentos amplamente usado pela indústria aérea regional. Por dentro, porém, é totalmente novo e foi batizado CRJ-550. A United removeu 20 assentos, uma decisão intrigante em uma época em que as companhias aéreas enfiam mais assentos nos aviões para reduzir custos e elevar os lucros.

"É um projeto pensado fora da caixa", conta Ankit Gupta, vice-presidente da rede doméstica da United, admitindo que estava cético inicialmente devido à perda de receita com o número menor de assentos. "A reação imediata é pensar que vai ser difícil, mas encarar e fazer uma tentativa verdadeira."

No CRJ-550, a United instalou quatro closets de bom tamanho para bagagens e um balcão de autosserviço com lanches e bebidas para os 10 passageiros da primeira classe (não é open bar: as bebidas alcoólicas continuam a cargo dos comissários). O avião oferece Wi-Fi da Gogo (ainda que na versão aérea mais lenta) e 20 assentos com espaço adicional para as pernas, além dos 20 lugares da classe econômica convencional na parte traseira. Os compartimentos de bagagem na parte superior da cabine também são maiores.

O objetivo é conectar passageiros de voos internacionais que preferem viajar de primeira classe desde a origem ? por exemplo, se vêm de cidades menores como Grand Rapids, no Estado de Michigan, ou Tulsa, em Oklahoma ? e não apenas quando embarcam no voo de conexão no hub da United. Em muitas rotas curtas, a companhia emprega quantidade maior de jatos de classe única e 50 lugares do que as rivais American e Delta. Muitas dessas cidades menores em breve serão atendidas pelo CRJ-550, incluindo Allentown, na Pensilvânia, e Bentonville, no Estado de Arkansas.

A United vê nos closets de bagagem um recurso essencial para atrair quem viaja a negócios, porque dispensam o despacho de malas no portão de embarque. Segundo Sarah Murphy, vice-presidente sênior responsável pela United Express, vários testes "com pessoas reais que levam malas, carrinhos de bebê e cadeirinhas de carro" comprovaram a capacidade dos CRJ-550s de evitar a inconveniência desses objetos na hora de atravessar a ponte telescópica que liga o portão de embarque à aeronave.

"Toda mala vai entrar", disse Murphy a bordo de um novo CRJ-550 no Aeroporto Internacional O'Hare, em Chicago, em 17 de outubro. "Isso criará uma situação em que o passageiro com pouco tempo para uma conexão consegue entrar com a mala e não precisa esperar a mala aparecer."

A United planeja uma frota de 54 jatos CRJ-550 até 2021 e tem como alvo inicial 26 mercados, chegando a 35 ao longo do tempo. Em princípio, os novos aviões voarão entre 15 cidades menores e O'Hare, acrescentando mais seis até o começo de janeiro. O serviço em Newark começa em fevereiro, com voos para quatro mercados. O aeroporto Washington-Dulles também receberá aeronaves CRJ-550 e fará a rota mais longa do modelo, chegando até St. Louis.