PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Hipotecas de alto risco ainda dão lucro para ex-Bear Stearns

Josh Saul

12/11/2019 16h13

(Bloomberg) -- As chamadas hipotecas subprime podem ter causado estragos na economia dos Estados Unidos na última década, mas foram muito boas para Tom Marano.

No Bear Stearns, ele ganhou fama no setor e acumulou fortuna liderando a equipe que atrelou bilhões de dólares de hipotecas subprime a títulos. A implosão histórica desses títulos arriscados e de baixa qualidade arruinou o Bear e ajudou a alimentar a pior crise financeira desde a Grande Depressão.

No entanto, isso pouco interferiu em sua carreira ou potencial de ganhos. Na verdade, Marano alavancou seu extenso histórico de hipotecas e relacionamentos em um lucrativo segundo ato. O executivo reestrutura e vende empresas de hipotecas problemáticas afetadas pela crise imobiliária.

Em sua mais recente função, encerrada no mês passado, Marano assessorou a firma de hipotecas Ditech Holding no processo de recuperação judicial e venda. O comprador da maioria dos ativos foi uma empresa administrada por um ex-colega do Bear Stearns. Antes disso, Marano supervisionou um processo de recuperação judicial semelhante sob o Capítulo 11 para a Residential Capital LLC, conhecida como ResCap. Ironicamente, parte dos empréstimos que seu grupo securitizou no Bear acabou na ResCap e na Ditech.

A carreira e as conexões de Marano mostram como, mesmo uma década após o colapso que deixou milhões de pessoas desempregadas e despejadas de suas casas, os mesmos executivos que criaram produtos vinculados a empréstimos arriscados continuam se beneficiando. Os críticos se irritam com a injustiça, enquanto outros dizem que pessoas como Marano são adequadas para conduzir processos de reestruturação, dada sua experiência.

"É como alguém que trabalha em uma usina nuclear, causa um desastre e depois trabalha na limpeza", disse Jared Ellias, professor de lei de falências da Universidade da Califórnia Hastings. "Pode parecer um pouco moralmente ambíguo, mas, na verdade, é apenas capitalismo. Pessoas que têm habilidades específicas serão contratadas para usá-las."

Proteção dos consumidores

Em entrevista por e-mail, Marano, 58 anos, disse que não é de surpreender que ele tenha sido contratado para reestruturar empresas de hipotecas.

"Eu tenho uma experiência muito boa em desarmar essas empresas financeiras superalavancadas", disse.

Marano afirmou que a crise financeira foi resultado de falhas sistêmicas, ao mesmo tempo em que reconheceu alguns "deslizes nos padrões do setor", ao empacotar hipotecas de pessoas com baixa pontuação de crédito.

"Em todos os lugares em que trabalhei, como Bear, ResCap e Ditech, estabeleci políticas e práticas para fortalecer os padrões e proteger consumidores para ajudá-los a ficarem com seus imóveis."

Marano trabalhou no Bear Stearns por mais de 25 anos, tornando-se uma das figuras centrais da empresa no esforço para acelerar a venda de títulos garantidos por empréstimos de risco. Com Marano como chefe da unidade de títulos lastreados em hipotecas, o banco estava vendendo dezenas de bilhões de dólares desses investimentos a cada ano.

--Com a colaboração de Claire Boston, Yalman Onaran e Rick Green.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

PUBLICIDADE