PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Um terço do PIB dos EUA é concentrado em apenas 31 municípios

Andre Tartar e Reade Pickert

16/12/2019 18h08

(Bloomberg) -- A economia dos Estados Unidos cresce há mais de uma década, mas esse avanço está cada vez mais concentrado em 1% dos municípios do país.

Apenas 31 municípios, ou o equivalente a 1%, compuseram 32,3% do Produto Interno Bruto dos EUA em 2018, de acordo com dados divulgados na semana passada pelo Bureau of Economic Analysis -- que incluíram quase 20 anos de dados do PIB.

Isso apesar dessas localidades responderem apenas por 26,1% dos americanos empregados e por 21,9% da população no ano passado. Sua participação combinada no PIB também subiu do piso de 30,1% visto na recessão, em 2009.

A economia do país está se concentrando cada vez mais nas grandes cidades e nas costas - e menos nas localidades rurais. A crescente concentração da atividade econômica do país pode afetar uma variedade de coisas, de gastos em infraestrutura à mobilidade da mão-de-obra, mas não está claro como as áreas rurais se sairão à medida que sua parcela da produção econômica diminuir.

Los Angeles, que tem um PIB equivalente à Arábia Saudita, adicionou US$ 395,2 bilhões ao PIB total dos EUA de 2001 a 2018. Nova York, sede de Manhattan, adicionou US$ 340 bilhões.

O 1% dos principais municípios estava espalhado por 16 estados e o Distrito de Columbia. Todos os 31 incluíam ou estavam perto das principais cidades dos EUA.

Os dados também destacam diferenças na concentração da indústria. O setor de informações, dominado por gigantes da tecnologia como Apple, Google e Amazon.com, está particularmente consolidado, com quase três quintos de sua produção espremidos em apenas algumas dezenas de municípios.

Finanças e artes também são altamente concentradas. Embora a região de Nova York ainda domine as finanças, a aderência de Manhattan ao setor diminuiu desde 2014. Los Angeles ocupou o primeiro lugar no espaço de artes e entretenimento de 2001 a 2018, mas Nova York aumentou sua participação de 4,6% para 7,2% no período.

Ainda assim, a maioria das indústrias não viu esse nível de consolidação. Algumas empresas que precisam estar próximas dos consumidores, como logística e varejo, estão menos concentradas.