PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Produtoras de cobre chinesas avaliam possível corte de produção

Bloomberg News

23/12/2019 06h28

(Bloomberg) -- Algumas das maiores produtoras de cobre da China planejam se reunir esta semana para avaliar possíveis cortes na produção, de acordo com pessoas com conhecimento do assunto. O setor enfrenta uma expansão de capacidade que afetou as margens e empurrou as taxas de processamento para perto do menor nível em sete anos.

Dez grandes fundições vão discutir o assunto em 26 de dezembro em Fuzhou, na província de Fujian, sul da China, durante uma reunião trimestral, disseram as pessoas. O grupo inclui as duas maiores do setor, Jiangxi Copper e Tongling Nonferrous Metals.

Embora não haja garantia de que o grupo decida reduzir a produção, as fundições de cobre da China enfrentam margens reduzidas ou até prejuízo, porque a oferta global de concentrado não consegue acompanhar a capacidade expandida do país. As taxas de processamento pagas às fundições pelas mineradoras para refinar o metal geralmente caem quando o estoque das minas diminui ou a capacidade de fundição é excessiva.

Um porta-voz da Jiangxi Copper não quis comentar. Um porta-voz da Tongling Nonferrous não foi encontrado para comentar.

Maior produtora

Como a China é a maior produtora mundial do metal refinado, qualquer redução significativa tem potencial para elevar os preços. Além disso, as projeções para o mercado se tornam cada vez mais otimistas com o degelo das tensões comerciais com os EUA.

Atualmente, a China produz cerca de 40% do cobre refinado global após uma onda de novas fundições na última década. Isso reduziu sua necessidade de metal importado e impulsionou as compras da matéria-prima de várias partes do mundo. A produção de cobre da China atingiu recorde em novembro, assim como as importações do concentrado usado para produzi-lo.

Tal como está, o mercado mundial de cobre refinado deve apresentar um pequeno superávit de cerca de 280 mil toneladas no próximo ano, de acordo com o International Copper Study Group. A produção da China no ano passado foi de cerca de 9,3 milhões de toneladas, segundo o grupo.

A última vez que produtores chineses de cobre implementaram uma ação coordenada para reduzir a oferta ocorreu há quatro anos, quando os preços eram negociados no menor nível em seis anos. Fundições de alumínio, zinco, níquel e estanho também reduziram a produção em conjunto nos últimos anos.

To contact Bloomberg News staff for this story: Winnie Zhu Shanghai, wzhu4@bloomberg.net;Yvonne Yue Li New York, yli1490@bloomberg.net