PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Melhor aposta em commodities é encontrar espaço para estoque

Stephen Stapczynski e Catherine Ngai

31/03/2020 09h41

(Bloomberg) -- Quando se trata de commodities, a única coisa com demanda agora é um local para estocá-las.

De tanques de petróleo em Oklahoma a câmaras para estocar carne de wagyu em Kobe, armazéns no mundo todo estão cheio de produtos que não conseguem chegar onde são necessários ou simplesmente não são desejados. O custo de armazenagem está nas alturas, em nítido contraste com o preço das próprias commodities, que colapsaram em meio ao caos do coronavírus.

É uma oportunidade potencial para empresas que operam nesse prosaico, mas essencial segmento do universo das commodities, como a empresa de tanques de petróleo Royal Vopak e até armadores como Euronav. E, como a armazenagem convencional rapidamente atinge o limite, qualquer empresa com produtos parados precisa ser criativa na busca por espaço. Em alguns casos, as mercadorias até são doadas.

"Se você é um operador de armazenagem, esta é uma oportunidade única para capitalizar ativos", disse Michael Tran, diretor-gerente de estratégia global de energia da RBC Capital Markets. "Durante períodos de pandemia e crise, quando as pessoas geralmente têm menos opções, essa opção vem com um prêmio. O armazenamento oferece isso porque oferece valor do tempo."

Produtores globais de matérias-primas enfrentam um colapso histórico da demanda, já que medidas cada vez mais drásticas para impedir a disseminação do Covid-19 paralisam a economia com o fechamento de fábricas, interrupção das viagens e gargalos nas cadeias de suprimentos.

Mas parar a produção é o pior cenário. É extremamente caro e disruptivo fechar um campo de petróleo ou refinaria, por exemplo. Além disso, os clientes podem ter um contrato para receber as commodities de qualquer maneira, independentemente de precisarem delas.

Portanto, o suprimento continua chegando, e os estoques estão cada vez mais cheios.

Em nenhum segmento isso é mais aparente do que no mercado de petróleo, uma das commodities mais atingidas pelo vírus, com demanda em baixa justo quando os maiores produtores prometem bombear mais do que nunca. Na taxa atual, os estoques globais estarão cheios até o fim de junho, de acordo com a consultoria IHS Markit.

O petróleo tipo Brent caiu para o menor nível em 18 anos, o que também criou uma estrutura de mercado que incentiva traders a estocarem a commodity. Ao comprar petróleo mais barato agora e vender a um preço futuro mais alto, podem lucrar enquanto a diferença for maior do que o custo de armazenamento, uma estratégia conhecida como contango.

O Citigroup estima que cerca de 1,7 bilhão de barris de petróleo estejam armazenados globalmente e prevê um aumento dos estoques de até 1,6 bilhão de barris no segundo trimestre. A Trafigura, segunda maior trader independente de petróleo, calcula que 1 bilhão de barris devem ser estocados em tanques nos próximos meses.

Câmaras frigoríficas

Não são apenas os tanques de petróleo que estão cheios. Embora produtos agrícolas frescos corram risco de escassez em algumas regiões, devido à falta de mão de obra e estocagem, cortes de carne premium e queijos rapidamente enchem armazéns de Kobe, no Japão, à Emilia Romagna, na Itália.

"Não há mais espaço para wagyu nas câmaras do Japão", disse Taku Eto, ministro da Agricultura, Florestas e Pesca do Japão, na sexta-feira. "Temos gado vivo que atingiu maturidade, mas não há espaço para transformá-lo em carne."

Mesmo antes da pandemia, armazéns refrigerados de todo o país operavam acima dos níveis considerados completos, segundo Lowell Randel, vice-presidente de assuntos governamentais e jurídicos da Global Cold Chain Alliance.

©2020 Bloomberg L.P.