PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Prêmio para pelotas de minério sob pressão por crise na Europa

Krystal Chia

14/04/2020 07h07

(Bloomberg) -- O prêmio pago para pelotas de minério de ferro - um dos produtos mais valorizados do mercado global - é pressionado pelo impacto da pandemia de coronavírus sobre os maiores consumidores na Europa.

A região responde por 40% da demanda transoceânica global por pelotas, segundo o CRU Group. A indústria automobilística do continente é afetada pelo avanço da pandemia: a montadora francesa Renault busca 5 bilhões de euros (US$ 5,5 bilhões) em empréstimos garantidos pelo governo, enquanto a Volkswagen avalia se deve pagar um dividendo recorde de 3,3 bilhões de euros.

O prêmio pago para pelotas dos finos mais vendidos está em cerca de US$ 28,15, queda de quase 30% desde o início de fevereiro, segundo a S&P Global Platts.

"Quando você tem um surto tão grande, que basicamente fecha toda a indústria automotiva da região, a demanda por aço será fraca e as siderúrgicas eventualmente reduzirão a produção", disse o analista sênior da CRU, Erik Hedborg, em e-mail. "Quando fazem isso, a primeira coisa que reduzem é o consumo de pelotas."

O minério de ferro é normalmente comercializado e usado de três formas. A mais comum são os finos, que são como areia grossa e granulada e requerem sinterização ou pelotização antes de serem usados. Este é o produto de referência comprado em grandes quantidades pelo setor de aço da China. Os granulados são pequenas partículas de minério, enquanto as pelotas são finos que foram processados em pequenas bolinhas.

Produtores de pelotas incluem a Vale e a sueca LKAB. No Canadá, a Iron Ore Company of Canada, controlada pela Rio Tinto, paralisou temporariamente duas máquinas de pelotização e está vendendo concentrado diretamente, citando uma "desaceleração na demanda por pelotas em vários mercados e setores da Europa e América do Norte", segundo comunicado.

A pressão sobre os prêmios deve continuar enquanto durar a desaceleração da atividade industrial na Europa, embora seja possível uma recuperação no segundo semestre, segundo Hedborg. Com a fraqueza do mercado europeu, os volumes foram redirecionados para a China, onde os prêmios para pelotas ainda são razoáveis devido ao colapso da produção doméstica no início deste ano, disse. As baixas taxas de frete também ajudam produtores de países como Suécia, Ucrânia e Rússia a vender pelotas para a Ásia.

©2020 Bloomberg L.P.