PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Americanos voltam a evitar lojas em novos epicentros de vírus

Katya Kazakina e Michael Sasso

24/06/2020 15h14

(Bloomberg) -- A taberna da Wandering Tortoise, em Phoenix, recebeu um fluxo de clientes depois que a quarentena foi encerrada no mês passado. Mas o tráfego diminuiu quando as infecções por coronavírus voltaram a aumentar, transformando o estado em novo epicentro da pandemia.

Em estados como Arizona, Texas e Flórida, onde a Covid-19 avança, pequenas empresas como a Wandering Tortoise registram queda da demanda, salões dizem que clientes estão mais nervosos e alguns restaurantes e bares tiveram que fechar novamente após a reabertura. Embora as evidências de uma retração do consumidor provocada pelo vírus sejam apenas baseadas em relatos no momento, seria um revés para a economia dos Estados Unidos, que acaba de retomar as atividades. As vendas no varejo, por exemplo, aumentaram para um recorde em maio.

Alguns estados que reabriram antes agora registram milhares de novos casos que ameaçam sobrecarregar sistemas de saúde. Greg Abbott, governador republicano do Texas, alertou que serão necessárias ações mais duras se as hospitalizações continuarem a subir. No Arizona, onde o presidente Donald Trump esteve na terça-feira, o governador Doug Ducey, também republicano, reverteu sua postura ao usar máscaras em público na semana passada e permitiu que as cidades adotassem a medida como mandatória.

"As coisas estão muito mais lentas" na taverna, disse Shay Gau, coproprietário da Wandering Tortoise, aberta há de 3 anos e meio. O negócio também possui uma loja de cervejas que mantém o movimento já que clientes estocam para evitar sair de casa. "Você não vê pessoas circulando."

©2020 Bloomberg L.P.

Economia