Vendas do varejo tem alta de 1,5% em novembro

São Paulo, 13 jan (EFE).- As vendas de comércio no varejo subiram 1,5% em novembro frente a outubro, o que representa o segundo aumento mensal consecutivo, mas acumularam uma queda de 4% nos 11 primeiros meses de 2015, informou nesta quarta-feira o governo.

As vendas registraram um forte retrocesso de 7,8% em novembro se se comparadas com o mesmo mês do ano anterior, segundo os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nos últimos 12 meses, o comércio diminuiu 3,5%, atingido pela forte diminuição do consumo das famílias, que durante anos foi a principal locomotiva da economia brasileira.

O consumo foi diminuído pela elevada inflação, que em 2015 ultrapassou 10%, seu maior nível nos últimos 13 anos; pelas elevadas taxas de juros e pela forte apreciação do dólar frente o real.

A desconfiança perante o rumo da economia, que em 2015 cairá cerca de 3,7% segundo as projeções dos analistas, e o aumento das taxas de desemprego também diminuíram o apetite de compra dos brasileiros no último ano.

No entanto, apesar dos maus resultados anuais, o comércio no varejo experimentou um bom mês de novembro graças ao bom desempenho de cinco dos oito setores analisados.

O setor dos móveis e eletrodomésticos avançou 6,9% e o de artigos de uso pessoal e domésticos 4,1% em relação com o mês anterior, um aumento que teve relação com a celebração do Natal, segundo informou o IBGE.

Também fecharam o mês de novembro em números verdes os setores de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (+1,2%), de vestiário (+0,6%) e de equipamentos de escritório e informática, que registrou um expressivo aumento de 17,4%.

Os setores que tiveram um resultado negativo foram o de supermercado e alimentos (-1,5%), o de livros, jornais, revistas e papelaria (-0,7%) e o de combustíveis e lubrificantes (-0,3%).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos